sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Google e Facebook preparam blackout contra Lei Antipirataria

Sites como Google, Facebook, Twitter e Wikipedia podem interromper suas operações causando uma espécie de “blackout” na internet em protesto à lei antipirataria em discussão no Senado norte-americano conhecida como S.O.P.A, sigla para Stop Online Piracy Act.

O diretor da NetCoalition, associação das empresas de internet contrárias à aprovação da lei, disse à Fox News que a Mozilla – dona do browser Firefox – já desligou seus serviços em um dia e agora empresas, dentre elas a Wikimedia, responsável pela Wikipedia, estudam fazer algo parecido. O executivo Markham Erickson, garante que as ações conjuntas são apenas “a ponta do iceberg em termos de resposta” à lei.

A NetCoalition engloba empresas como Facebook, AOL, eBay, Facebook, Foursquare, Google, LinkedIn, Twitter, PayPal, Wikimedia, Mozilla, Yahoo e Zynga. A ação ainda não foi definida e, por isso, não sabe exatamente o que acontecerá, mas ao que tudo indica, usuários da internet se deparariam com momentos online sem a possibilidade de fazer buscas no Google ou Wikipedia, publicações no Facebook e Twitter ou pagamentos pelo PayPal. No lugar das páginas, apareceriam mensagens incentivando os usuários a reclamar da lei aos congressistas. O Scribd recentemente fez uma ação contra a lei, causando o desaparecimento gradual de palavras dos documentos no seu site.

“Esse tipo de coisa não acontece porque as empresas normalmente não colocam seus usuários nessa posição”, disse Erickson comentando o ineditismo da ação. “A diferença é que essas normas alteram profundamente o modo como a internet funciona”. O executivo acredita que as pessoas “precisam entender o efeito que essa legislação terá sobre quem usa a internet”.

O texto da lei propõe novas regras na internet para combater a pirataria online, mas sugere medidas restritivas — o que têm sido alvo principal de críticas — , como o fechamento de sites que tenham qualquer relação com a divulgação na internet de conteúdo protegido por direitos autorais. A Sopa, como ficou conhecida, ainda dá poder para que empresas retirem do ar qualquer conteúdo suspeito mesmo sem ordem judicial.

Entre as empresas que apoiam a Sopa estão gravadoras, emissoras de televisão, grupos de mídia, empresas de transmissão de eventos esportivos, editoras de livros, operadoras de cartão de crédito,  empresas farmacêuticas, além de muitas associações que representam diversos setores, como artistas, compositores, atores, estúdios de cinema, policiais, empresas de telecomunicações.

Há uma semana, a comissão do Congresso dos EUA que discute a lei decidiu adiar a votação para 2012, após o recesso. A lei ainda deve passar por votação no Congresso e depois no Senado dos EUA para ser aprovada.

As empresas de internet que são contra a lei enviaram em novembro passado uma carta ao Congresso americano mostrando a preocupação geral em relação à lei e as consequências que traria para a indústria e para a “cibersegurança nacional”.

Veja quais as empresas de tecnologia são contrárias a essa legislação:

AOL
Boing Boing
Creative Commons
Daily Kos
Disqus
eBay
Etsy
Facebook
foursquare
Google
Grooveshark
Hype Machine
Kickstarter
Kaspersky
LinkedIn
Mozilla
MetaFilter
OpenDNS
O’Reilly Radar
Reddit
Techdirt
PayPal
Torrentfreak
Tumblr
Twitter
TechCrunch
Yahoo!
Zynga
Scribd
YCombinator
Wikipedia
Reddit
Namecheap
Petzel
ICanHasCheezburger
Quora
Embedly
MediaTemple
CloudFlare
StackExchange (Stack Overflow)
Github
Linode
Hostgator
Square
The Huffington Post
Craigslist
ESET
4chan

No Brasil tramita, no Congresso, um projeto de lei que segue os mesmos moldes. Conhecida como Lei Azeredo, ela impõem sanções e restrições semelhantes ao projeto americano. A lei já foi aprovada no Senado e tramita na Câmara de Deputados.

Com informação do Estadão.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com