quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Assembleia aprova aporte de recursos para EGR

Foto: Marcelo Bertani
A Assembleia Legislativa aprovou, por 25 votos a 22, durante a Ordem do Dia da sessão dessa terça-feira (3), o PL 262 2013, do governo Tarso, que destina R$ 30 milhões à Empresa Gaúcha de Rodovias – EGR.

Em sua justificativa para a proposta, o govenro destaca que o aporte de recursos é necessário para dar continuidade a obras novas e em andamento de construção de rotatórias, passarelas, acessos e duplicação das rodovias dos chamados pedágios comunitários (RS-122, RS-240, RS-239 e ES-135). Também para as obras das demais rodovias que forem transferidas para a EGR, e que até então eram executadas pelo Daer, com recursos arrecadados em anos anteriores.

Durante o encaminhamento da matéria em plenário, hoje, os deputados petistas Edegar Pretto, Nelsinho Metalúrgico, Raul Pont, Stela Farias e Daniel Bordignon rebateram as críticas dos oposicionistas ao governo e defenderam a aprovação do projeto.

Outro deputados que não são da base do governo também manifestaram voto favorável. Miki Breier da bancada do PSB, que, até pouco tempo, pertencia à base aliada, salientando que o Partido se comportaria de forma independente na votação desta e de outras propostas governamentais.

Mesmo não fazendo parte da base do governo o deputado Adolfo Brito (PP) votou a favor do projeto do governo. O deputado argumentou que votou a favor "com o intuito que o governo do Estado inicie de imediato as necessárias obras de recuperação, de asfaltamento de trechos e manutenção de rodovias em todo o Rio Grande do Sul".

Gilmar Sossela (PDT) e Jurandir Maciel (PTB), destacaram a importância do projeto para o RS, manifestando-se favoravelmente à matéria.

Já os oposicionistas Edson Brum (PMDB), Pedro Pereira (PSDB), Lucas Redecker (PSDB) e João Fischer (PP) manifestaram votos contrários à proposta.

A deputada caxiense Maria Helena Sartori (PMDB) também manifestou voto contrário porém ela é uma das principias críticas ao estado das rodovias na região. Abandonadas pelas empresas que cobravam os pedágios criados durante o governo Britto (PMDB), as rodovias da Serra não receberam os investimentos que estavam nos contratos e foram devolvidas em péssimo estado. Ao que parece o papel da deputada é fazer o jogo do "quanto pior melhor". Lamentável.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com