Assembleia aprova aporte de recursos para EGR

Foto: Marcelo Bertani
A Assembleia Legislativa aprovou, por 25 votos a 22, durante a Ordem do Dia da sessão dessa terça-feira (3), o PL 262 2013, do governo Tarso, que destina R$ 30 milhões à Empresa Gaúcha de Rodovias – EGR.

Em sua justificativa para a proposta, o govenro destaca que o aporte de recursos é necessário para dar continuidade a obras novas e em andamento de construção de rotatórias, passarelas, acessos e duplicação das rodovias dos chamados pedágios comunitários (RS-122, RS-240, RS-239 e ES-135). Também para as obras das demais rodovias que forem transferidas para a EGR, e que até então eram executadas pelo Daer, com recursos arrecadados em anos anteriores.

Durante o encaminhamento da matéria em plenário, hoje, os deputados petistas Edegar Pretto, Nelsinho Metalúrgico, Raul Pont, Stela Farias e Daniel Bordignon rebateram as críticas dos oposicionistas ao governo e defenderam a aprovação do projeto.

Outro deputados que não são da base do governo também manifestaram voto favorável. Miki Breier da bancada do PSB, que, até pouco tempo, pertencia à base aliada, salientando que o Partido se comportaria de forma independente na votação desta e de outras propostas governamentais.

Mesmo não fazendo parte da base do governo o deputado Adolfo Brito (PP) votou a favor do projeto do governo. O deputado argumentou que votou a favor "com o intuito que o governo do Estado inicie de imediato as necessárias obras de recuperação, de asfaltamento de trechos e manutenção de rodovias em todo o Rio Grande do Sul".

Gilmar Sossela (PDT) e Jurandir Maciel (PTB), destacaram a importância do projeto para o RS, manifestando-se favoravelmente à matéria.

Já os oposicionistas Edson Brum (PMDB), Pedro Pereira (PSDB), Lucas Redecker (PSDB) e João Fischer (PP) manifestaram votos contrários à proposta.

A deputada caxiense Maria Helena Sartori (PMDB) também manifestou voto contrário porém ela é uma das principias críticas ao estado das rodovias na região. Abandonadas pelas empresas que cobravam os pedágios criados durante o governo Britto (PMDB), as rodovias da Serra não receberam os investimentos que estavam nos contratos e foram devolvidas em péssimo estado. Ao que parece o papel da deputada é fazer o jogo do "quanto pior melhor". Lamentável.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados