Justiça proíbe terrorista tucano de ir a desfile de sete de setembro

A Justiça Federal do Distrito Federal proibiu o advogado Matheus Sathler Garcia, que ameaçou matar a presidente Dilma Rousseff, de comparecer ao desfile do 7 de setembro, que ocorrerá nesta segunda-feira em Brasília. Ele foi candidato a deputado federal pelo PSDB nas últimas eleições.

Garcia publicou vídeos nas redes sociais em que prometia "arrancar a cabeça" de Dilma, caso ela não renunciasse ou se suicidasse até este domingo.

O ministro José Eduardo Cardozo já havia determinado que a Polícia Federal abrisse um inquérito para investigar as ameaças publicadas na internet. Em decisão proferida nesta sexta (4), o juiz Macus Vinicius Bastos determinou que Garcia permaneça a uma distância mínima de 1 quilômetro da Praça dos Três Poderes e da Esplanada dos Ministérios, onde haverá as festividades. Ele também está proibido de sair da capital e será monitorado pela Polícia Federal, provavelmente, por meio de uma tornozeleira eletrônica que identifica sua localização.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados