segunda-feira, 8 de abril de 2013

O discurso que não alcança a prática

"A cidadania de um município é medida pelo tamanho de suas calçadas"
Por pouco a Av. Rio Branco não perdeu espaço para os carros
A declaração do deputado estadual Vinicius Ribeiro (PDT) é uma grande verdade. Temos concordância com ela. Porém ela deveria vir com uma autocrítica junto. Quando teve oportunidade da fazer, o agora deputado, não implementou o seu, sábio, ensinamento.

O Governo Sartori priorizou os carros. Reforma na Sinimbu, viadutos, rotulas e outras inúmeras alterações viárias contemplaram sempre o carro como elemento principal do transporte em nossa cidade.

Exemplo disso é o "Paradão da Bento" que está há 3 anos provisório molhando os usuários do transporte coletivo quando chove (leia aqui). Outro exemplo foi a ideia de diminuir o tamanho das calçadas na Av. Rio Branco, em São Pelegrino, para "auxiliar" o trânsito próximo ao Shopping.

O governo Sartori (PMDB) era tão despreocupado com o pedestre que chegou a perder recursos para a construção de uma passarela e outras duas iniciadas estão a passo de tartaruga.

Tudo isso aconteceu enquanto a atual deputado era vereador ou, pasmem, Secretário dos Transportes de Caxias do Sul!

Semana passada ele apresentou um projeto que institui a Política Estadual de Mobilidade Urbana. No grande expediente, na Assembleia Legislativa, quando ele tratou sobre o assunto, Vinicius falou: “A prioridade está nas pessoas e, com isso, no estudo dos espaço públicos para o pedestre. Em seguida está o veículo não motorizado, como as bicicletas e, por último, o transporte coletivo”. [...] “A restrição do carro na via não é uma discussão de propriedade do bem, pois não questiono a propriedade do automóvel. Acredito, sim, em uma discussão sobre o uso dessa propriedade no espaço público”.

Muito diferente do que é feito em Caxias. Ainda dá tempo de mudar essa realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com