sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Candidato do PMDB desacata PMs e delegado após ser flagrado com habilitação bloqueada em plena carreata


A Rádio Acesa, de Santo Cristo, noticiou nesta sexta-feira (30), uma confusão envolvendo o candidato do PMDB à Prefeitura do município, Segundo apurou a emissora, o candidato Adair Philippsen teria sido flagrado por policiais militares quando estava numa carreata de sua campanha dirigindo com a carteira de habilitação bloqueada.

No entardecer de quinta-feira, 29 de setembro, o candidato Adair Philippsen (PMDB) de Santo Cristo, comandava uma carreata de sua campanha. Mas policiais militares que faziam blitz de rotina no local, abordaram Adair e verificaram que sua CARTEIRA DE MOTORISTA estava BLOQUEADA. Em seu artigo 307, o Código de Trânsito classifica como CRIME a condução de veículo nestas condições.

Pelo relato dos PMs, o candidato passou a ofendê-los e chegou a mencionar que faria contato com pessoas de suas relações políticas que atuam no Comando da Brigada Militar no Estado para que fossem punidos. Sentindo-se intimidados, os PMs decidiram levar o caso à Polícia Civil.
A confusão ficou ainda maior por que, segundo os PMs, Adair passou então a acusar também o delegado de tentar prejudicá-lo. O episódio gerou o um Boletim de Ocorrência. No final, o veículo de Adair foi liberado após um outro motorista, este devidamente habilitado, assumir a condução do carro.

A eleição em Santo Cristo é vista por lideranças locais como uma das mais acirradas da região Noroeste. E o candidato do PMDB, além do episódio vergonhoso desta quinta-feira, poderá, ainda, ter de dar outras explicações à Justiça. Isto porque o Ministério Público recebeu uma informação de que teria havido distribuição de tickets de gasolina aos participantes da carreata, o que é terminantemente proibido pela legislação.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Governo Sartori paga salários dos servidores novamente de forma parcelada

Pela oitava vez em seu governo (isso sem contar o 13º salário), o governador José Ivo Sartori (PMDB) paga os salários dos servidores públicos estaduais de forma parcelada.

No dia de hoje, 31, foram feitos 3 depósitos nos valores de R$ 3.500,00, R$ 750,00 e R$ 1.100,00.

Apesar disso significar que a grande maioria dos servidores receberam em dia a apreensão tomou conta de todos eles, e essa tem sido a lógica do governo Sartori: espalhar pânico.

Em 18 meses de governo Sartori não apresentou nenhuma solução para a crise financeira do Estado que ele tanto propaga.

Cortou nomeações, não concedeu reajustes, não pagou promoções, cortou obras, cortou repasses para hospitais, parou de pagar a dívida com a União, aumentou impostos, encurtou o calendário do IPVA, fez pedaladas fiscais e nenhuma dessas maldades solucionou o problema.

Como a única proposta que existe é a "venda" da folha de pagamento dos funcionários do estado para o Banrisul servirá para pagar o rombo das pedaladas que o Sartori fez com o 13º salário, a situação do Rio Grande do Sul só tende a piorar com o passar dos meses.

E o Rio Grande vai seguindo ladeira abaixo.

Mais dois ministros de Temer estão prestes a cair

Ministro da Saúde levou familiares aos invés de técnicos
para evento da Organização Mundial de Saúde
Por Pinheiro do Vale/Jornal Já

A tesoura do presidente interino Michel Temer está amolando o fio para cortar mais dois ministros ainda esta semana. É possível que um dos cortes seja anunciado nas próximas horas.

O ministro do turismo, Henrique Eduardo Alves já viu o bilhete azul nas mãos do secretário executivo do governo, o ex-governador do Rio de Janeiro, Wellington Moreira Franco, que levou a ele um recado do chefe do governo provisório.

Outro que está pela bola sete é o ministro da Saúde, Ricardo Barros, rejeitado pelo corpo de funcionários da pasta com tamanha repugnância que nem mesmo consegue se reunir com o segundo escalão de sua administração.

Henrique Alves é um político veterano, deputado federal por 11 mandatos, com amplo trânsito nos meios políticos. Entretanto, seu indiciamento iminente na Lava Jato encerram sua carreira no gabinete do presidente interino Temer.

Deve pedir demissão a qualquer momento.


O caso do ministro da Saúde é mais agudo, pois a corporação o repeliu peremptoriamente.

Engenheiro civil de formação, deputado federal pelo PP do Paraná (sua base é em Maringá), Barros foi afrontado pelo diretor do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, AIDS e Hepatites, o médico Fábio Mesquita, de Londrina, também no norte paranaense.

Mesquite se demitiu do cargo por causa da presença da mulher do ministro numa comitiva oficial.

Pivô da crise, a mulher do ministro, é a vice-governadora do Estado, Cida Borghetti, catarinense que integra a aliança política (representando o PP) do governador tucano Beto Richa, também originário do norte do Paraná, com base em Londrina, herdeiro da base de seu pai, o falecido governador José Richa.

A comunidade médica do Ministério da Saúde não engoliu a inclusão da vice-governadora na comitiva oficial brasileira que foi à Assembleia Mundial de Saúde.

A repulsa a Barros é tão intensa que, em Brasília, espera-se sua destituição a qualquer momento.

Odebrecht assina a maior delação premiada da Lava Jato

Marcelo Odebrecht o "homem que sabe muito"
Se a Lava Jato for realmente séria a delação premiada do empresário Marcelo Odebrecht assinada com o Ministério Público Federal (MPF) irá abalar definitivamente a República.

A extensão da delação atingirá todos os partidos incluindo PSDB, PMDB, PP, PDT, PTB, DEM, SD, e muitos outros.

A famosa lista da Odebrecht tem 300 nomes de políticos e ela ainda pode ser maior. Tem deputado, senador, governador, prefeito, vereador e até candidato a presidente.

O pai de Marcelo Odebrecht, Emilio Odebrecht, também prestará depoimentos na condição de colaborador da Lava-Jato, conforme apurou a reportagem do jornal Valor Econômico.

Com o acordo, Marcelo entregará todas as informações que dispõe sobre o caixa da empresa e contribuições feitas às campanhas eleitorais majoritárias. O empresário também vai detalhar os pedidos de contribuição feitos por políticos a ele e ao Grupo Odebrecht.

Os próximos movimentos dirão qual a extensão das investigações. Fontes relatam que a Odebrecht poderia citar casos de corrupção que aconteceram dos anos 1960 para cá.

Se realmente a Lava Jato quer dar uma limpa na corrupção, as investigações não podem ficar restritas nos últimos anos. Tem que passar todo o país a limpo.

Agride adolescente e ainda ganha capa de jornal

Para ganhar destaque no jornal basta agredir adolescente
Gilberto Freitas Couto, esse é o nome do cidadão, ou podemos chamar de criminoso, que agrediu um adolescente na manhã de ontem, 30, na Escola Estadual Apolinário Alves dos Santos.

Hoje Gilberto ganhou a capa do jornal Pioneiro, onde tenta justificar a sua atitude fascista. Na entrevista ele confessa: "vou lá quebrar esse cadeado. Peguei uma barra de ferro que tenho em casa para mexer lenha e fui".

Gilberto armado com essa barra de ferro e com a corrente que roubou do portão, invadiu o colégio e ameaçou todos que estavam lá. Bateu no estudante Paulo Bitencourt, de 17 anos, e arrancou o celular da professora Eliane Machado Cardoso da mão dela. Só devolveu o celular depois que ele foi avisado que seria feito um registro de roubo. Esse celular foi o que gravou as imagens dele.

Sem a gravação, não se sabe o que ele poderia ter feito, até mesmo ferido gravemente alguma pessoa.

Em sua tentativa patética de se justificar ele diz que precisa ter onde deixar a filha. Para Gilberto a escola é lugar de depósito onde ele larga os filhos. É por pessoas como ele que a educação anda de marcha a ré no país.

Na entrevista o Pioneiro ele pede desculpas, numa tentativa desesperada de fugir das responsabilidades de múltiplas agressões e intimidação. Ele sabe que a "chapa esquentou" pro lado dele e a valentia já desapareceu.

Ao Pioneiro ele diz que não é um "monstro". Isso é verdade não é um monstro é só um criminoso que precisa responder pelos seus atos.

Lamentavelmente a raiz do problema não é discutida em nenhum momento. Não há menções do imobilismo do Governo Sartori em buscar uma solução para o problema. Soma-se a isso que o secretário de Educação, Vieira da Cunha (PDT), estava de férias até essa semana e que ontem (30) anunciou sua exoneração para concorrer a prefeito de Porto Alegre.

Veja abaixo o vídeo das agressões.


segunda-feira, 30 de maio de 2016

CGU tem entrega de cargos em massa em protesto contra ministro

Fonte: Congresso em Foco

 Em protesto contra o ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, chefes de 23 representações estaduais da Controladoria-Geral da União (CGU) e outros 200 ocupantes de cargos de direção e assessoramento superior (DAS) anunciaram a entrega de seus cargos nesta segunda-feira (30). Eles afirmam que não trabalham com o novo ministro e cobram a imediata saída de Fabiano, flagrado em conversa gravada orientando o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado a se defenderem na Operação Lava Jato.

Os nomes dos chefes demissionários foram lidos em um carro de som durante o protesto que barrou a entrada de Fabiano no ministério e promoveu uma lavagem, com água e sabão, na fachada da CGU e no nono andar, onde fica o gabinete do ministro. Um grupo de servidores da CGU cercou o carro de Fabiano e o impediu de entrar na sede do ministério. Cerca de 200 pessoas, segundo a Polícia Militar, ocupam a entrada do prédio, localizado no Setor de Autarquias Sul. Os manifestantes devem sair daqui a pouco em marcha até o Palácio do Planalto para cobrar a demissão de Fabiano.

Em nota divulgada nesta manhã, o Sindicato Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle (Unacom) pediu a saída imediata de Fabiano Silveira. “O Sr. Fabiano Martins Silveira, ao participar de reuniões escusas para aconselhar investigados na operação Lava Jata, bem como ao fazer gestões junto a autoridades e órgãos públicos a fim de apurar denúncias contra seus aliados políticos ‘demonstrou não preencher os requisitos de conduta necessários para estar à frente de um órgão que zela pela transparência pública e pelo combate à corrupção’”, afirma o comunicado assinado por Rudinei Marques, presidente do Unacom Sindical (leia a íntegra).

Além de cobrar a exoneração imediata de Fabiano Silveira, o sindicato também pede a revogação da medida provisória assinada pelo presidente interino Michel Temer que criou o Ministério da Transparência, alterando a estrutura da CGU. Outro ponto reivindicado pelos sindicalistas é a aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC 45/2009) que dá “soberania” à CGU para investigar e apresentar laudos. Embora tenham conseguido o apoio de todos os líderes partidários. chegou a ficar em primeiro lugar na lista de prioridades. Renan negou e disse que a pauta era muito corporativista e não botou

O diálogo entre Fabiano Silveira e Renan foi gravado na residência oficial do Senado em 24 de fevereiro, quando o atual ministro era conselho do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O ministro também fez recomendações a Machado sobre como ele deveria se comportar diante de uma medida cautelar, conforme revela reportagem do Fantástico. Funcionário de carreira do Senado, Fabiano é considerado indicação de Renan para o ministério.



Ex-presidente do PSDB de Minas é preso pela PF por suspeita de desvio de R$ 2 bi

Narcio Rodrigues, ex-deputado federal, ex-presidente do PSDB de Minas, de 2004 a 2007 e de 2009 a 2011, e ex-secretário de Ciência e Tecnologia no governo Anastasia, o relator do impeachment de Dilma no Senado, foi preso, na manhã de hoje (30), em Belo Horizonte.

Sua prisão é fruto de uma operação conjunta da Polícia Militar, do Ministério Público e da Polícia Federal. A assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que seis pessoas foram presas, entre elas Nárcio Rodrigues.

Entre as seis prisões, uma foi realizada em São Paulo. A identidade do preso ainda não foi revelada. A operação, batizada de Aequalis, também cumpriu 16 mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte e Frutal, no Triângulo Mineiro, cidade natal de Narcio.

O noticiário de Minas Gerais dá conta de que a investigação teria como objeto desvios da ordem de 2 bilhões de reais.

Narcio é um dos homens fortes de Aécio e Anastasia e sua prisão está sendo tratada como uma bomba em Minas Gerais.

A partir de Narcio, pode-se abrir a caixa preta do que aconteceu nos 12 anos de governo tucano no estado.

Narcio Rodrigues é pai do deputado federal Caio Narcio (PSDB/MG) que votou favorável ao processo de impeachment. Em seu voto ele declarou:

"Por um Brasil aonde meu pai e meu avô diziam que decência e honestidade não eram possibilidade, eram obrigação", afirmou Caio antes de votar a favor do impeachment. O deputado encerrou a fala com a citação: "Verás que um filho teu não foge à luta".


Caio Narcio passa a ser mais um que pediu o fim da corrupção e foi atingido pelas denúncias na sua família.