quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Um bom exemplo

A gente pega no pé da imprensa sim, admitimos. Mas também ela não ajuda. Para provar que sei separar “o joio do trigo”, gostaria de falar sobre a matéria de capa do semanário O Caxiense, edição 61, intitulada: “Exclusivo: Minha Casa Seu Negócio, Nosso Lucro”. A matéria traz uma série de denuncias de irregularidades no programa Minha Casa, Minha Vida, em Caxias do Sul.

O que eu vi de interessante na matéria é o foco dela. Geralmente matérias de denúncia de irregularidades de programa têm o alvo mais comum de todos, os governantes. Porque, convenhamos bater em político é fácil. Por isso mesma a matéria surpreende. É uma das primeiras vezes que vemos os corruptores aparecendo.

A reportagem foi até a raiz das irregularidades, as imobiliárias e construtoras de um lado e cidadãos do outro tentando obter vantagens que beiram a ilegalidade. Ao investigar o aluguel e até a venda de apartamentos, ou casas, compradas pelo programa mostra-se um lado obscuro da nossa sociedade, a ganância. Essa mesma ganância é também dos empresários do setor que elevaram os preços abusivamente para que seus imóveis atinjam o teto do financiamento. A ganância é tanta que apesar desse reajuste ainda cobram um valorzinho extra.

Essa reportagem demonstra que há pouca moral, em alguns setores, para falar mal dos políticos, pois quando aparece uma oportunidade essas pessoas não vêem nenhum problema em burlar a lei para obter lucros.
Mas muito pior é que entidades do setor nem sequer tentam admitir que haja irregularidades. O presidente do Sinduscon, na maior cara de pau, diz que o problema de cobrar uma graninha extra, além do valor financiado, não é problema nenhum já que a Caixa Econômica Federal aprovou o financiamento. Como assim não é problema? É por esse tipo de gente que é necessária aumentar a burocracia para a obtenção de um benefício em programas estatais, pois sempre tem, e paradoxalmente quem tem muito dinheiro, interessada em burlar o programa.

Hoje saiu a notícia que o limite para financiamento aumentou de R$ 100 mil para R$ 130 mil. Esperamos que esse não seja o motivo para, empresários gananciosos, aumentarem ainda mais os preços dos imóveis. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com