domingo, 11 de setembro de 2011

Caxias do Sul fica em 342º lugar em investimentos na saúde

Uma notícia circulou na semana passada mas, apesar da importância, ganhou pouca visibilidade na mídia caxiense. Segundo um levantamento do Tribunal de Contas do Estado, TCE, Caxias do Sul ocupa a 342ª posição no "ranking" de investimentos da prefeitura em saúde. Veja aqui o ranking completo. Situação semelhante já havia acontecido com a educação onde Caxias ficou com o 357º lugar em investimentos no estado.

Essa notícia deveria ser capa dos jornais, manchete principal nos telejornais e render longas mesas redondas nos programas de rádio. Por um simples motivo. Estamos há mais de 5 meses com os médicos em greve (e mais de 500 dias do início do movimento). E a secretária de saúde Maria Antoniazzi sempre disse que o município investia muito em saúde. Inclusive na audiência pública que aconteceu no dia 22 de julho ela disse que Caxias investia 21% em saúde. Isso até pode ser os dados de 2011, mas pelo levantamento do TCE, no período de 2006-2010, nossa cidade investiu 17,17% na área.

Ao que parece, então, não é o problema de falta de capacidade de investir é má gestão mesmo. O período auditado pelo TCE corresponde aos dois últimos anos de primeira administração Sartori (PMDB) e os dois primeiros da atual. Nesse período foram arrecadados em impostos na nossa cidade R$ 2.122.541.460,99 (são mais de dois bilhões de reais). Desse valor foram investidos em saúde, no mesmo período, R$ 364.419.814,314 (trezentos e sessenta e quatro milhões). Colocamos os números por extenso para que o leitor tenha ideia do montante de dinheiro envolvido. Pode até ser que o valor seja maior do que o mínimo constitucional, mas parece que a choradeira da falta de dinheiro não é real já que há centenas de municípios que investem mais, proporcionalmente, na saúde.

Os primeiros da lista
Caxias do Sul poderia seguir exemplos de municípios como Campinas do Sul na Região Noroeste ou São Leopoldo na Região Metropolitana. Esses dois municípios estão em primeiro e segundo lugares nos investimentos em saúde.

Campinas do Sul, administrada pelo PP, investiu (entre 2006-2010) R$ 11.021.822,28, de uma arrecadação de R$ 35.287.665,54 o que da 31,23%, ou seja, R$ 500,17 por habitante, por ano. Já em São Leopoldo, administrada pelo PT, o investimento per capita, por ano foi de R$ 251,09. De uma arrecadação de R$ 705.248.068,56 foram investidos R$ 215.143.714,70 (30,51%). Em Caxias do Sul a média, por ano/por habitante é de R$ 206,43. Muito pouco se considerarmos que o orçamento de nossa cidade é 3 vezes maior que São Leopoldo e quase 20 vezes maior que Campinas do Sul.

Esses são, entretanto, valores apenas vindos de investimentos municipais e os outros entes federados? A secretária da saúde não cansa de dizer que os governos estaduais e federais investem pouco. Bom fomos conferir.

Os investimentos da União
Não foi difícil encontrar. É só acessar a página no Ministério da Saúde, mais ou menos no meio da página tem um link "Repasses Municipais" e escolher, no mapa, o nosso estado (encurtamos o caminho para você). Lá é possível ver os repasses Fundo a Fundo, por cidade, data, programa, etc.

No mesmo período auditado pelo TCE esses foram os valores repassados pela União ao município de Caxias do Sul:

2006 - R$ 55.033.960,08
2007 - R$ 66.077.238,03
2008 - R$ 71.697.509,86
2009 - R$ 78.041.857,21
2010 - R$ 84.446.041,91
Total - R$ 355.296.607,10


É quase um investimento 1 por 1. Então não é pouco dinheiro não. Ano a ano os valores foram, inclusive aumentando, tanto que nesse ano até hoje já foram repassados R$ 66.579.629,46, incluíndo R$ 569 mil para implantações de Unidades Básicas de Saúde.

No caso do governo do estado o site da secretaria de saúde não é tão bom assim e não é possível (pelo menos não achamos) verificar os valores. Mas não é novidade que o RS amargava até o ano passado, durante o governo Yeda (PSDB) o último lugar em investimentos na saúde no Brasil com 5,4% da receita líquida.

E enquanto isso há filas das unidades básicas, demora para conseguir exames e nem a contratação emergencial de médicos surtiu efeito. Nessa semana deve haver mais uma rodada de negociações entre a prefeitura e o sindicato médico. Será que a revelação desses números vai mudar o tom da discussão? No mínimo deveria fazer com que a secretária, Maria Antoniazzi, explicasse o jogo de empurra que ela vem fazendo há muito tempo.

Um comentário:

  1. queridos, os planos privados no brasil cobrem 24 % da populacao. em caxias até carregador de salame tem plano privado. o sistema publico de saude aqui em caxias é em grande parte pra atender as pessoas que nao contribuem em nada pra cidade, sequer sao contadas no censo. as mesmas pessoas que descambam aqui as dúzias pra ter emprego, contribuindo pouco e exigindo muito servico publico, sem falar que recebemos pacientes de toda região. aponte os 2 lados da moeda em todas suas opinioes. tu ta ficando muito esquerdista. quanto as greves dos medicos, esse sim é um perfil arrogante na cidade.

    ResponderExcluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com