quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Deus não mata mas castiga! E agora Sartori?


Foto da matéria "Natureza Exuberante do Sistema Marrecas"
publicada no jornal Burgueseiro

As obras do Sistema Marrecas, de fato muito importante para o abastecimento de água em caxias do Sul, estão dando o que falar! É uma atrapalhada atrás da outras. Erros cruciais que não poderiam ter acontecido em uma obra de tamanho tão vultoso!

Vejamos os tropeços que colocam em xeque a probidade do gestor municipal e que não deixam a obra deslanchar.

*O orçamento inicial da obra era de R$ 120 milhões subiu para R$ 150 milhões em dezembro de 2009 e, em abril de 2011, para R$ 200 milhões. De fato, um pequeno erro de cálculo. Apenas R$ 80 milhões a mais... R$ 80 milhões!

* As desapropriações de terras não passaram pela Câmara de Vereadores. Pra quem se diz transparente e eficiente, no mínimo há algum tipo de obscuridade por trás dessas desapropriações.

* As entidades ambientalistas Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais, União Pela Vida e Instituto Orbis ajuizaram ação pedindo a suspensão do desmatamento da área a ser alagada. A Prefeitura perdeu em primeira instâncias na Justiça Federal e novamente no Tribunal Regional Federal neste mês. As entidades ambientalistas alegam que não houve a devida autorização para o corte de árvores e que o desmatamento causará danos irreversíveis ao equilíbrio ambiental.

A situação está ficando complicada para o lado da Prefeitura. E se perder no STJ e STF também? São riscos que se correm quando o "progresso da humanidade" é considerado mais importante que a preservação ambiental. Se tudo fosse feito nos conformes e com maior atenção aos danos ambientais, certamente a Prefeitura não estaria nesta saia justa!

Deus não mata mas castiga. Mas se passar do STF...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com