segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Luta por MAIS UMA universidade pública em Caxias

Não podemos limitar o debate a uma disputa entre Caxias e Bento Gonçalves

Sei que essa postagem é polêmica, mas estamos devendo ela há bastante tempo. Uma grande mobilização tomou conta da cidade. Bom grande pelo barulho, por enquanto, mas está juntando muita gente mesmo. A reivindicação pela instalação de uma extensão da UFRGS em Caxias do Sul.

Não somos contra a instalação da extensão da UFRGS aqui em Caxias, muito antes pelo contrário, quanto mais vagas para pública melhor. O que estamos querendo mostrar é que Caxias não está desistida de ensino superior público.

Começamos pelo título “10 razões para a Universidade Pública em Caxias do Sul”. Primeiro já temos universidade pública em Caxias, duas até. A UERGS e a IFRS (Instituto Federal do Rio Grande do Sul). Esse último inclusive é ensino médio técnico também. Então não podemos dizer que não há universidade pública.

O caso da UERGS é bem emblemático. Ela foi construída pela participação popular, via Orçamento Participativo Estadual, em 2000, na metade do governo Olívio Dutra (PT). Acontece que os governadores que o sucederam, Germano Rigotto (PMDB) e Yeda Crusius (PSDB), a sucatearam. O Rigotto começou destituindo o reitor eleito pela comunidade e indicando um CC (cargo de confiancia). No governo Yeda não houve mais vestibular em Caxias do Sul. Yeda fez pior, não reformou, mesmo tendo dinheiro e local, no antigo prédio da Escola Estadual Olga Maria Kayser. Agora o governo Tarso (PT) acena com a reestruturação da UERGS, pode ser que bons ventos cheguem a Caxias do Sul.


Já o IFRS instalou-se esse ano, apesar da prefeitura de Caxias do Sul ter feito uma das piores contrapartidas das 10 cidades que estavam para receber o projeto. Depois de quase perder a instituição a sede começou a ser construída no bairro Fátima (foto). Atualmente o IFRS ocupa um prédio aluga próximo ao Shopping Iguatemi. O IFRS, em Caxias do Sul, conta com 334 alunos e é focado na qualificação do setor metal mecânico e de tecnologia. No Rio Grande do Sul são 10 cidades que compõem a rede estadual.

E a extensão da UFRGS?

A proposta da extensão da UFRGS surgiu como uma proposta ao impasse na histórica reivindicação da federalização da UCS. Como a proposta não ia dar em nada surgiu a proposta, feita pelo então vereador Assis Melo, de começar a discutir uma extensão da UFRGS. Quando ela se concretizar teremos, então em Caxias, 3 instituições de ensino público. Uma coisa tem que ficar bem claro para toda a população. Uma extensão da UFRGS deverá atender uma demanda específica. Então que está achando que vai ter Direito, Administração ou Contábeis, pode ir se decepcionando.

As propostas de extensão buscam qualificar as competências regionais ou, então, as deficiências locais de qualificação. Existem, portanto, duas discussões de foco. Uma delas fala da qualificação de profissionais da área da saúde, uma deficiência regional. Outra foca ainda mais, no setor metalúrgico.

Não podemos limitar o debate a uma disputa entre Caxias e Bento Gonçalves (até por que Bento também tem duas instituições públicas). Devemos discutir para que queremos uma UFRGS na Serra. Vamos ao debate pensando o que é melhor para a nossa região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com