quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Hospital de Campanha? Campanha da Enganação!

O caos na saúde em Caxias do Sul se arrasta há anos e se agravou após a greve dos médicos, que se arrasta há oito meses. Se não bastasse o calvário que a população tem passado, infelizmente nos defrontamos com situações esdrúxulas, pra pegar leve com a gestora da saúde na cidade, Maria do Rosário Antoniazzi.

Em agosto deste ano Caxias recebeu um hospital de campanha, que fica localizado junto ao antigo seminário dos irmãos paulinos. O complexo, localizado no Bairro São Ciro, conta com cerca de oito hectares de área e, inicalmente, abrigaria todos os residenciais terapêuticos da cidade, que seriam geridos pelo Grupo Fátima. Após intensa mobilização social, a ideia foi abandonada e o espaço ficou vazio. Assim, o prédio acabou abrigando apenas um Caps (Centro de Apoio Psicossocial).

Com a ideia do hospital de campanha, que foi criado para atender em especial ao aumento da demanda dos casos de gripe H1N1, o espaço do antigo seminário pode ser ocupado e a Associação Virvi Ramos (Grupo Fátima) recebeu mais uma terceirização do município. Coicindentemente, a associação está em intensa luta para manter sua filantropia e o Governo Sartori está firme nessa parceria, tanto que também passou para o grupo os serviços de oftalmologia do SUS e de exames laboratoriais.

Mas, voltando ao hospital de campanha, a previsão é que os serviços sejam mantidos até março de 2012. O Cremers (Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul) tentou interditar o hospital porque ele não foi registrado junto ao conelho e não conta com equipamentos imprescindíveis para atendimentos de urgências e emergências. Segundo relatos de profissionais da saúde que atuam no SUS, o hospital de campanha é uma piada. O serviço não atende pessoas em estado grave, não conta com a equipe de médicos e enfermeiros prometidos pela Secretária da Saúde e não tem equipamentos básicos, como oxigênio. E, o mais chocante, durante os quatro meses em que esteve aberto, o hospital nunca teve sua lotação preenchida. Pelo contrário, a média de ocupação é de cerca de 10 leitos por mês.

Quanto custa a brincadeira aos cofres do município? Apenas R$ 210 mil por mês! Até março. Já foram para o ralo R$ 840 mil, para um atendimento pífio!

2 comentários:

  1. Aliás tudo na área de saúde do governo SARTORI/PMDB/PDT, é uma piada, mas piada de mau gosto com o povo caxiense....mas tá chegando ao fim desse calvário.

    ResponderExcluir
  2. Isso é o reflexo desse "Zé Mané" prefeitinho! Mas, a maior piada é esse "sem-vontade" pretender ser candidato a governador!!!! ha ha ha.... Faz muito que o meu Título de Eleitor não é papel higiênico!

    ResponderExcluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com