sábado, 28 de janeiro de 2012

Saúde a gente tem que tratar com seriedade

Antonio Feldmann (PMDB) é um fanfarrão, disso eu tenho certeza. O secretário municipal de cultura e, interino, na saúde, tem passado seu tempo de interinidade produzindo manchetes para os meios de comunicação sem, contudo, gerar nenhuma ação.

Na sua curta estada já fez relatos sobre o número de UBS (Unidades Básicas de Saúde) no município, uma coisa corriqueira, mas tratada como manchete pelo Pioneiro. Na última semana saiu com mais uma. O secretário substituto apresentou um dado que, no mês de dezembro, 62% dos casos atendidos pelo Postão 24 horas não são de urgências e essas pessoas deveriam ter procurado as UBS antes, pois se tratavam apenas de consultas. O secretário até postou uma ilustração sobre o assunto (imagem ao lado).

Obvio que deve haver uma grande conscientização da população para que procure um pronto socorro somente em casos de urgência, na verdade esses pacientes passam por triagem (é assim que o secretário substituto conseguiu a informação) e os casos mais urgentes ganham preferência. Acontece que Felmann esquece de um detalhe: Caxias enfrentou, até dezembro, uma greve de médicos que durou 8 meses (e os médicos estão em estado de greve até novembro desse ano segundo o sindicato). Durante esse tempo todo o atendimento, por força de decisão judicial, deveria ser mantido em 50% nas UBSs e de 100% no Pronto Atendimento. E foi exatamente durante o mês de dezembro que Feldmann fez esse levantamento, ou seja, durante o mês de greve (ela só foi “encerrada” no final do mês).

Isso é só a ponta do iceberg. Dados da própria secretaria e visitas, feitas às UBSs pela União das Associações de Bairros e Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores, constataram falta de profissionias em várias Unidades Básicas. Soma-se a isso o fato dos médicos não cumprirem a carga horária de 20 horas semanais que está estabelecida em contrato. O Ministério Público, inclusive, já ordenou que a prefeitura cobrasse o ponto e isso não foi feito.

Ainda para piorar está a situação calamitosa de algumas UBSs há rachaduras, infiltrações, goteiras e mais uma série de problemas estruturais nelas.

A saúde pública de Caxias não precisa de um marketeiro, como o Feldmann, nem de uma figura sem decisão, como a Maria Antoniazzi. Se Caxias, como a prefeitura alega, gasta mais que o mínimo constitucional em saúde e estamos enfrentando essa série de problemas, então ela gasta mal. A greve dos médicos é o exemplo mais vergonhoso disso. Ela durou 8 meses por absoluta falta de ação dos gestores em saúde.

A população não vai até o Postão 24 horas porque não sabe para que ele serve. Ela vai até lá para ser atendida, pois a rede municipal de saúde, na gestão Sartori, é um verdadeiro caos.

E esse Feldmann então, é uma pândega, né? Qual será a próxima piada que ele fará com o povo de Caxias?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com