terça-feira, 26 de junho de 2012

O PT perdeu para ele mesmo

O inacreditável aconteceu. Marisa e o PT protagonizaram mais uma vez um papelão. Marisa Formolo renunciou esta tarde à pré-candidatura à Prefeitura de Caxias do Sul. Por motivos pessoais, segundo a carta enviada por Marisa à Direção do partido, ela não tem condições de concorrer e abriu mão do espaço.

As palavras de Daneluz foram enfáticas: Todos sabem que me preparei a vida inteira para esse momento. Daneluz estava acompanhado da esposa.

Daneluz iniciou sua vida pública ainda no primeiro Governo de Pepe Vargas como subprefeito de Santa Lúcia do Piaí, foi Secretário de Obras e eleito três vezes vereador.

Os presidentes dos partidos que apóiam o PT: PTC, PRB, PRTB, PV foram enfáticos em reforçar que apóiam o partido por uma questão ideológica, não importando quem esteja à frente como candidato.

Disputa interna gerou o desfecho

Porém a troca de candidato não foi uma coisa tranquila. Na semana passada Marisa já havia sondado a possibilidade de se afastar da campanha por problemas de saúde de seu marido. Porém houve um movimento muito grande, por parte de dezenas de dirigentes petistas, para demove-la da ideia. A razão era simples. Marisa estava em empate técnico com Alceu na útlima pesquisa eleitoral e numa sondagem interna Daneluz ficava abaixo dos 5%.

Esse movimento não agradou lideranças ligadas ao vereador Marcos Daneluz, que achavam que nessa situação a "fila deveria andar". A indignação foi tão grande que eles foram para a imprensa manifestar sua insatisfação. Na edição de hoje da Folha de Caxias, um petista que não quis se identificar, mas que ficamos sabendo que era ligado ao grupo interno de Daneluz disse: “E essa não foi a primeira vez. Em outras duas vezes ela já havia desistido para abrir mão em prol de Daneluz, mas não deixaram”.

Se já havia um certo vacilo, se ela já estava pensando em ter que priorizar a família, intervenções como essas representam a gota d'água. Não é a primeira vez que o PT perde para ele mesmo. Em 2002 ao invés de conceder a reeleição a Olívio Dutra, Tarso Genro disputou uma feroz prévia interna. Mesmo vencedor, dentro do partido, acabou sendo derrotado nas urnas.  Tarso aprendeu com o erro, mas parece que o correligionários de Daneluz não.

Fontes internas ao PT nos garantiram que não é a primeira vez que Daneluz promove uma forte briga interna para tentar almejar seus objetivos. Com forte tendência carrerista (todo político tem que ter um pouco, mas...), ele só deixou de disputar as prévias contra Pepe Vargas por que ficaria isolado dentro do partido.

Quando Pepe Vargas virou ministro a chance de concorrer se mostrou no horizonte e Daneluz e seus aliados fizeram diversos movimento para exigir a realizações de prévias. Isso só não aconteceu por ação direta de petistas de alto escalão.

Quando a oportunidade se apresentou, novamente, o golpe foi mortal. Marisa não resistiu a pressão e acabou cedendo.

Agora, ao que tudo indica, os candidatos estão definidos. Cinco homens. O mais esdrúxulo disso é que a única mulher candidata teve que escolher entre a família ou a vida pública. Situação que não está no horizonte dos candidatos homens. Mais uma vez coube a mulher o papel de cuidadora da família. Não houve a chance de conciliar essas duas situações. Num momento uma mulher é presidente da república e elas ganham cada vez mais espaço, a discussão para a sucessão municipal de Caxias foi na contramão da história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com