domingo, 23 de setembro de 2012

Veja sugere que Jeferson deva ser perdoado

Publicado originalmente no blog Brasil 247

“Ele merece perdão?” Esse é o título de uma reportagem da revista neste fim de semana, na qual o presidente do PTB é tratado como um pobre coitado. Além de ter colaborado com a Justiça, ele se recupera de um câncer. “Meu estômago grita, tenho cólicas”, diz ele. Há até um ministro do STF defendendo a clemência; será que ele escapa do juízo final?

Neste fim de semana, a revista Veja, que não apresentou fitas sobre a suposta entrevista de Marcos Valério, deflagrou um novo movimento. Trata-se do pedido de perdão a Roberto Jefferson, presidente do PTB que, em 2005, denunciou o chamado mensalão, em duas entrevistas concedidas à Folha de S. Paulo.

Para embasar seu pedido de clemência, Veja se ampara em dois argumentos. Um de natureza jurídica, outro humanitário. O primeiro diz respeito ao fato de Jefferson ter sido o delator do esquema. “A lei permite [o perdão] e é um caso que pode, inclusive, ter efeito pedagógico”, diz um ministro do Supremo Tribunal Federal, supostamente ouvido em off pela revista. O segundo argumento diz respeito ao câncer do qual o político ainda se recupera. “Tirei quatro quintos do estômago, 1.5 metro de intestino delgado, um quarto do fígado e metade do pâncreas. Tomei 500 pontos. Preciso comer, mas, se como um pouco mais, meu estômago grita. Tenho cólicas”, disse Jefferson a Veja.

O perdão judicial poderia eliminar totalmente a eventual pena de Roberto Jefferson (já condenado pelo relator Joaquim Barbosa por corrupção e lavagem de dinheiro) ou reduzi-la em dois terços. Como presidente do PTB, ele recebeu R$ 4 milhões num acordo relacionado às eleições municipais de 2004, mas queria R$ 20 milhões. Segundo Jefferson, no caso do PTB eram recursos para dívidas de campanha ou para campanhas futuras – mas, ao contrário do seu partido, segundo ele afirma, todas as demais siglas embarcaram no chamado “mensalão” (o que ele depois disse ter sido apenas uma construção retórica).

Será que Jefferson escapa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com