PT poderá entrar com ação para impedir diplomação de Adiló

O vereador Guiovani Maria, vice presidente do PT, anunciou numa entrevista a Folha de Caxias que o seu partido poderá entrar com um recurso para impedir a diplomação de Adiló Didomênico (PTB), que foi eleitor vereador em 7 de outubro. O motivo é que Adiló é apontado como "Ficha Suja" pelo Tribunal de Contas do Estado, TCE (leia aqui).

Ele teria sido condenado pelo TCE por irregularidades administrativas na Codeca: infringência de normas de administração financeira e orçamentária; pagamento de horas extras e gratificação integrada ao salário sem base legal; prescrição de créditos a receber de clientes, caracterizando renúncia de receitas; custeio irregular de plano de saúde a servidores e multas de trânsito sem responsabilização dos infratores e outros de responsabilidade do proprietário do veículo. Por todas essas irregularidades ele teria que pagar ou devolver aos cofres públicos mais de R$ 680 mil. 

Porém a Justiça Eleitoral desconsiderou um dos princípios da Ficha Limpa que é ser inelegível, por até 8 anos, quem for condenado por um órgão colegiado como o TCE, por exemplo. Agora o PT teria interesse em reavivar o caso. A Codeca é emblemática pois foi usada como argumento de campanha pela situação durante muito tempo. As provas de irregularidades na gestão de Adiló seriam, portanto, a falência desse discurso.

Guiovani argumento que o processo não é motivado por benefício próprio, veja mais abaixo, e declara:  “Se ele for ficha suja, vai ter que arcar. Ele foi condenado a devolver o valor e não devolveu, e concorreu sob liminar”, insiste Guiovane. Segundo ele, o Judiciário tem condições de resolver isso. Vamos ver com o jurídico do partido o que pode ser feito, não podemos ficar quietos”, finaliza.

O quadro eleitoral mudaria?
Se, por acaso, Adiló for considerado inelegível seus votos seriam anulados e com isso o PTB perderia um vereador e o PDT ganharia 1. O Polenta News refez os cáculos da distribuição de vagas considerando os votos de Adiló nulos. Com isso cai o coeficiente eleitoral e o PDT conquistaria a última vaga. Se sair Adiló, Pedro Incerti (PDT) passaria a ser vereador.

Para constar o único candidato caxiense que ficou não pode concorrer pela Ficha Limpa foi Ithamar Sitta (PSDB).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados