sexta-feira, 29 de março de 2013

BM reprime com bombas manifestação em Porto Alegre. Zero Hora destaca “depredações”

Publicada originalmente em Jornalismo B

Terminou em violência policial a manifestação do fim da tarde desta quarta-feira contra o aumento nas passagens do transporte coletivo em Porto Alegre. Ao menos uma estudante foi presa, e um jovem esperou por cerca de meia hora estirado no chão com um corte na cabeça. Momentos antes ele fora atropelado pelo Batalhão de Choque da Brigada Militar, polícia comandada pelo governo do Estado. Mas o site da Zero Hora preferiu noticiar a quebra de vidros e a tinta jogada contra um secretário de governo.

A manchete do site de Zero Hora às 21h era “Manifestantes jogam tinta em secretário e depredam prédio da prefeitura em Porto Alegre”. Enquanto isso, um jovem estudante era levado por uma ambulância, cabeça aberta pela batida contra o meio-fio.

As fotos publicadas na Galeria de Zero Hora são todas de depois do fim do protesto em frente à Prefeitura – os manifestantes seguiram para outro ponto da cidade. As duas fotos que ganharam espaço na matéria são de uma pichação no prédio e do secretário de Governança e ex-chefe da Casa Civil do governo Yeda Crusius, Cezar Busatto, sujo de tinta. Nem na Galeria nem na matéria há fotos do protesto, e a única imagem de um manifestante ferido está fora da matéria principal.


A esquerda site da Zero Hora a direita site do Jornalismo B. Mesmo fato duas versões bem diferentes

O texto vai pelo mesmo caminho. Recheado de verbos no modo condicional, mostra que a repórter Letícia Costa não estava lá. “Há relatos de confusão entre policiais e manifestantes, que teriam jogado pedras contra a prefeitura. De acordo com agentes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), duas motos da Guarda Municipal foram derrubadas pelos manifestantes”, diz a matéria, para em seguida apresentar fala do subcomandante responsável pela ação da BM. Depois, mais uma vez a fonte é a mesma: “Há relato de feridos, mas a Brigada Militar não soube precisar o número exato” . E mais: “Nos arredores da prefeitura, há vidros quebrados e tinta foi jogada nas paredes do prédio, que foi pichado com a inscrição “R$ 3,05 é roubo”. O secretário de governança Cezar Busatto foi atingido com tinta pelos manifestantes”.

O foco é sempre nos “prejuízos” causados pelos manifestantes. Nenhum das centenas de estudantes que estavam lá é ouvido. A única fonte é a BM. Nem a repórter fala sobre o que viu, provavelmente porque não viu nada. Provavelmente fez a matéria da redação. Zero Hora sabia, como todos, que haveria um protesto em frente à Prefeitura. Depois do clima criado pela violência policial na manifestação de terça-feira, previa-se clima tenso e muita gente. Mesmo assim, ZH não tem fotos ou relatos do protesto, apenas do pós.

* O relato do Jornalismo B sobre o que aconteceu está AQUI.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com