terça-feira, 28 de maio de 2013

Segundo Polícia Federal boato sobre fim do bolsa família partiu de empresa de telemarketing


A Polícia Federal conseguiu identificar pelo menos duas pessoas que afirmam ter recebido telefonemas no último fim de semana com mensagens gravadas sobre o fim do Bolsa Família. De acordo com as investigações iniciais da PF, a hipótese mais provável é que o boato tenha partido de uma central de telemarketing com sede no Rio, via telefones celulares.

O boato causou correria às agências da Caixa Econômica Federal. Em alguns casos houve até depredações. O boato atingiu 13 estados. O banco registrou 920 mil saques de beneficiários, em um total de 152 milhões de reais em saques.

A notícia falsa iniciou por uma mensagem gravada via telefone. Depois disso ela foi propagada por rádios locais e por ultimo pelas redes sociais. Fica cada vez mais evidente que houve um complô. Foi gasto recursos para fazer com que a falsa notícia fosse repassada para os usuários do programa. A Polícia Federal vai falar com as primeiras 200 pessoas que realizaram o saque para descobrir como elas receberam a informação.

Segundo dados preliminares quatro histórias compuseram o complô contra o programa. Elas falavam que o Bolsa Família iria acabar, que haveria um abono por conta do Dia das Mães, que haveria a suspensão dos pagamentos durante a visita do Papa Francisco (essa versão percorreu os municípios cariocas) ou que os funcionários da Caixa entrariam em greve.

Essa última versão, inclusive, foi uma das primeiras que circularam pelo twitter. O Polenta News localizou o tweet abaixo.


Ele foi o primeiro a comentar sobre o fim do programa. O dono desse perfil, inclusive, se declara “anti-PT” na sua descrição. A cópia desse tweet foi feito no dia 21 de maio, por esse motivo aparece “3 dias atrás no rodapé”. 

A ferramenta Topsy, usada pelo Polenta News mapeia os tweets dos usuários com maior influência na rede. Ela também disponibiliza esses dados graficamente. Abaixo podemos ver que há um salto na citações do “Bolsa Família”, no twitter, no sábado dia 18.




Fica cada vez mais evidente que alguém, ou algum grupo, dispendeu tempo e dinheiro para espalhar esse boato. Os ensinamentos que tiramos desse caso são dois. O primeiro é que é muito fácil espalhar um boato e, se ele realmente teve conotação eleitoral, cabe uma profunda reflexão sobre a legislação eleitoral.

O segundo é que o Bolsa Família é um caminho sem volta. Qualquer governo que tentar terminar com o programa, sem que haja a erradicação da miséria, enfrentará um convulsão social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com