terça-feira, 30 de julho de 2013

Igreja derruba 334 árvores de Mata Atlântica para montar estrutura para missa campal

Corte ilegal de árvores para abrir espaço para uma missa
gerou multa
Exatas 334 árvores foram derrubadas para montar a estrutura para uma missa campal nas proximidades do Parque Estadual Serra da Tiririca, na cidade de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro. Algumas árvores eram centenárias, foram retiradas do local por conta de um evento da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que recebeu o Papa Francisco.

Os responsáveis pelo desmatamento que dizimou 30 diferentes espécies de Mata Atlântica foram os líderes da Capela de São Sebastião de Itaipu, uma das mais antigas do estado. O objetivo era abrir espaço para a realização de uma missa durante a JMJ.

De acordo com a secretaria municipal de Ambiente de Niterói, um decreto municipal de nº 2602/2008 determina que a retirada e a poda de árvores sejam precedidas de autorização da pasta. Os representantes da igreja, no entanto, derrubaram a vegetação sem autorização. “Se a igreja tem o papel de educação ambiental, não pode cometer uma supressão desse tamanho”, afirmou o secretário Daniel Marques.

Por conta da derrubada, a igreja foi multada em R$ 10 mil reais e deverá fazer reflorestamento de plantas nativas da Mata em até 60 dias. 

Em Guaratiba lamaçal e degradação ambiental


Vista área do Campus Fidei antes da chuva
Em outro local do Rio de Janeiro as fortes chuvas que atingiram a região a partir da quarta feira transformaram o terreno do Campus Fidei em um verdadeiro lamaçal e obrigou a organização do evento a cancelar as atividades que iriam acontecer no local.

No local foi feita a dragagem de um rio e três canais que custaram R$ 6 milhões. O palco, que não foi utilizado, consumiu R$ 5 milhões. Ainda houveram gastos com a urbanização de diversas ruas e instalação de sinalização.

Como ficou depois da chuva
Segundo moradores do local a área é naturalmente "alagável". O prefeito Eduardo Paes (PMDB) só tomou a decisão de cancelar as atividades no local quando técnicos disseram que havia sério risco para os jovens, não só de saúde, mas também de acidentes.

O Campus Fidei é uma área de 1,362 milhão de metros quadrados, onde foi montada uma estrutura completa para receber os peregrinos da Jornada Mundial da Juventude, incluindo lanchonetes, banheiros, torre de vigilância e bebedouros. A preparação começou em 2011, logo após a confirmação de que o Rio sediaria o evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com