Coisas que só o preconceito explica


Somente um alto grau de preconceito ou uma forte tendência a politicagem explicam as declarações do prefeito de Santa Tereza, Diogo Siqueira (PSDB). Ele é prefeito do único município da Serra que receberá médicos estrangeiros, no caso um médico cubano, do programa Mais Médicos. Ao invés de ficar feliz ele resolve fazer o discurso da politicagem:

“Mas que tipo de emprego vai ser? Uma escravidão? Ele vai ter de trabalhar ao lado de alguém que ganha mais do que ele?”

Mas então porque o prefeito credenciou seu município para receber os médicos do programa? Parece que há uma grande diferença entre discurso e prática. O prefeito tucano não perdeu a oportunidade de fazer politicagem em relação ao governo federal, mas não vai perder a oportunidade, também, de disponibilizar um profissional onde, ao que parece, os médicos do município não querem ir. O município paga R$ 15 mil para médicos terceirizados, segundo o próprio prefeito. Um valor extremamente alto que é 5 vezes maior do que ganha um profissional em Caxias do Sul, por exemplo.

O prefeito alega que sua cidade faz bem o papel da atenção básica a saúde. Não é o que os números dizem. O IDHM de Santa Tereza é 0,746, que é considerado alto, mas é menor do que vários município vizinhos. Em Garibaldi é 0,786; Caxias, 0,782; Bento Gonçalves, 0,778; Nova Prata, 0,766.

Receber um profissional que ele mesmo pediu e ainda reclamar disso não encaixa no perfil de administrador público que deveria zelar pelos interesses da população. Está mais para preconceito do que para interesse público.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados