Humor como ferramenta de desinformação

A charge acima, do Marco Aurélio, publicada na edição de hoje do jornal Zero Hora mostra como o humor é uma potente arma para a propagação de desinformação e preconceitos. Em apenas uma imagem o cartunista, que não é levado a sério nem pelos seus pares, demonstra o preconceito aos médicos estrangeiros que serão contratados pelo Sistema Único de Saúde, SUS, e a lei que prevê a distribuição de maconha aos usuários da droga no Uruguai.

Desmontando a farsa "humorística".


Primeiro ponto da farsa é o fato do "médico" uruguaio falando espanhol. A contratação dos médicos estrangeiros prevê que eles façam uma prova de proficiência em língua portuguesa. Prova semelhante todos os brasileiros fazem para estudar no exterior. O profissional terá sim, e é inevitável, sotaque, mas quem não tem? Isso não quer dizer que ele vá falar uma língua estranha aos pacientes.

A segunda inverdade é o fato de que uma pessoa poderia ir para Montevidéu e comprar "40 gramas de marihuana" (maconha). As 40 gramas são o teto máximo que será disponibilizado a usuários registrados e que são cidadãos uruguaios. Ou seja, um brasileiro, não poderá ir para o Uruguai e comprar maconha. Se fizer isso será enquadrado nas leis de tráfico que não foram abolidas. A medida do governo vizinho, que as pessoas podem  até discordar, visa afastar o usuário do traficante fornecendo diretamente o produto pelo governo.

Marco Aurélio não é o único chargista a usar esses subterfúgios de desinformação. O discurso fácil, a exposição midiática e o uso escancarado do senso comum são bastante utilizados pelo seu colega de profissão o caxiense Iotti que tem mania de reciclar charges destilando ódio aos movimentos sociais (veja aqui).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados