sábado, 17 de agosto de 2013

Os reclames da burguesia

O importante é "ir pras praias"?
É irritante como a mídia burguesa caxisense faz parecer que o maior problema da cidade e do estado são as estradas esburacadas. Realmente, para quem viaja bastante, a situação degradante de algumas estradas torna-se um problema cotidiano. E ninguém nega que estradas em boas condições evitam uma série de acidentes.

Porém, impossível não analisarmos esse problema do ponto de vista da maioria da população. Quem viaja tão frequentemente a ponto de os buracos das estradas serem realmente um problema diário? 1 ou 2% da população?

O que realmente aperta o calo do povo é o posto de saúde sem médicos, a escola sem professores, a rua sem calçamento. Isso é o que deixa as pessoas infelizes. Aquilo que atinge o ser humano cotidianamente.

Quando a imprensa apresenta apresenta as más condições das estradas como um sério problema, como um descaso do estado, está maximizando um problema que não é do dia a dia da maior parte da população e que não faz diferença alguma pra maioria, que não tem condições de viajar. Está se colocando, na verdade, como porta voz dos empresários e da elite.

Panela no asfalto? O problema é a panela na mesa!

Um comentário:

  1. Não sei exatamente o que escrever a respeito dessa postagem. São tantas ideias estapafúrdias em tão poucas linhas, que fica difícil fazer qualquer espécie de comentário.
    Primeiro, o ranço ideologico, típico dos dinossauros marxistas, aparece, carregado de afirmações que fazem referência à já ultrapassada "luta de classes".
    Mas, ultrapassando a questão de "ideologia", o post é tecnicamente falho.
    O uso das estradas vai muito além do que enxerga a sua míope visão. Por ali passam os produtos que chegam à todos, muitos trabalhadores rodam para deslocar-se a seus postos de trabalho, etc.
    A partir do momento em que essas estradas oferecem más condições, aumentam-se custos que refletem diretamente em todos os bens consumidos pela população, tornando-os, evidentemente, mais caros.
    "Panela no asfalto? O problema é a panela na mesa!"
    Ora bolas! Com o que, e como encher a panela que está na mesa?
    Com o ar que enche o local nas sua cabeça onde supostamente deveria estar um cérebro?

    ResponderExcluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com