"Radical da Cautela" é pressionado a se posicionar pela cúpula do PMDB

José Ivo Sartori se auto definiu como um "Radical da Cautela". Foi assim que agiu, não agindo na sua campanha para reeleição à prefeitura de Caxias do Sul e quando fez seus vice, Alceu Barbosa Velho, prefeito. Porém essa tática não tem agradado em nada a direção estadual do PMDB.

A direção estadual do partido escalou o deputado federal, Osmar Terra e o estadual, Alexandre Postal, para conversarem com Sartori em busca de uma definição. O deputado Alceu Moreira define bem a situação: "O Sartori precisa dizer com toda a clareza se quer ser candidato ou não. E isso, na nossa visão, precisa ser feito neste ano. Porque a única coisa que não precisamos é escolher o adversário antes de escolher o companheiro que vai representar o partido na eleição".

A fala resume o dilema do PMDB. Sartori tem comichão só de ouvir falar da aliança do PMDB com o PT nacionalmente. Só uma catástrofe faz com que essa aliança não continue e Michel Temer só não é o vice presidente se não quiser. A preferência de Sartori recairia por Eduardo Campos (PSB). Aí tem dois problemas. O primeiro é que a candidatura parece naufragar já que as intenções de voto tem caído mesmo com a entrada de Marina no PSB e aí surge outro problema, "o PSB se tornou complicado, pelas posições radicais da Marina. Eu teria sérios problemas com meu travesseiro se optássemos pela Marina", afirmou o presidente estadual do PMDB, deputado Edson Brum.

O caminho para o lado do PSDB também é descartado pelo partido então não há muitos caminhos, nacionalmente para o PMDB. No RS a vida também fica difícil. Se o partido não for protagonista, e com força, corre o risco de ser um coadjuvante. PT, PP e PSOL já estão organizando suas bases para a eleição. O PSB corre para todos os lados para conseguir um palanque para Eduardo Campos, sem sucesso. PDT e PMDB vivem crises internas.

O resultado de toda essa pressão pode ser conferida na edição de hoje do Pioneiro, onde o jornal, tenta criar uma saída honrosa para Sartori, que seria a candidatura a deputado. Mas nem assim ele tem capacidade de tomar uma decisão com firmeza. Segunda a colunista interina, Rosilene Pozza, ele pode concorrer a deputado federal, estadual ou nenhum dos dois.

Em âmbito local essa indecisão toda pode prejudicar os planos de Mauro Pereira que tem certeza que quer concorrer a deputado federal e ficaria preterido por Sartori. Se ele sair do jogo pode faltar tempo para Mauro se organizar para a campanha.

O estilo "em cima do muro" do ex-prefeito, foi uma das marcas de seu governo que muito pouco fez para pensar Caxias do Sul para o futuro. Seu sucesso eleitoral está muito mais ligado a farta distribuição de Cargos de Confiança para os correligionário do que de eficiência administrativa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados