segunda-feira, 23 de junho de 2014

Mudança editorial: Pioneiro escancara problemas em obras de Caxias do Sul

Como já havíamos publicado no final de semana (veja aqui) houve uma mudança na linha editorial, acreditamos que momentânea, do maior diário de Caxias do Sul. O Pioneiro, que durante os 8 anos do governo Sartori, em várias oportunidades serviu de veículo oficial do governo municipal, começou a mostrar os "problemas" das obras públicas realizadas pelo poder público municipal.

Justiça seja feita. Em alguns casos, como a passarela do São Ciro, o jornal criticou o governo várias vezes, porém a crítica ficou sempre a cargo dos colunistas. Principalmente o Ciro Fabres.

Hoje o Pioneiro escancara, na capa, o problema. A matéria traz o cronograma da obra, e do atraso da mesma. Um dos pontos que se sobressai são os erros da obra. A empresa que fez o estaqueamento da obra, errou e fez ele abaixo do nível da rodovia. Só após vários meses o problema foi detectado. A matéria, não traz, entretanto, que uma emenda do deputado federal Pepe Vargas (PT) teve que ser devolvida porque a prefeitura perdeu o prazo para a realização da obra. Outra comparação importante é de que na mesma época, o viaduto Campo dos Bugres, que custou R$ 11 milhões foi construído. A passarela, que iniciou as obras também em 2009, custará apenas R$ 700 mil. Uma clara demonstração das prioridades do governo Sartori/Alceu em beneficiar o "carrocentrismo".

A matéria, de duas páginas, ainda traz outro exemplo: a estação de transbordo do Floresta. Nem inaugurada e já depredada, teve pias furtadas, banheiros destruídos, cercas quebradas, e só não está pior porque um morador de rua usa uma guarita como moradia e está "cuidando" do lugar. O projeto das estações de transbordo foi elaborado durante o governo Pepe Vargas. Sete anos de Sartori e o projeto não andou. No último ano as obras começaram. Passaram-se três anos, R$ 5 milhões em gastos e ainda nada ficou pronto.

Para finalizar temos a barragem do Marrecas. Dezoito meses depois de inaugurada ela só distribui água pelo lado errado, fruto dos vazamentos na barragem. Uma licitação será feita para conter os vazamentos. Os testes de bombas acabaram falhando porque os equipamentos não resistiram a pressão. Comenta-se de que a não resistência das bombas é motivado pela altura maior da barragem, modificada com o projeto em andamento, e com isso, os equipamentos estavam subdimensionados.

Não há mais previsão para que ela entre em funcionamento. Como não devemos sofrer racionamento em 2015, talvez apenas para 2016, quando teremos novamente eleições municipais.

A única coisa que não foi comentada em toda a matéria é o motivo da mudança editorial do Pioneiro. Consideramos duas alternativas possíveis. A primeira é a quase inexistência de publicidade oficial no jornal. Durante todo o ano de 2013 a prefeitura fez uma licitação para a contratação de uma agência de publicidade. A licitação foi encerrada somente em fevereiro desse ano. Só que, desde julho, enfrenta-se a restrição de propaganda oficial por conta da lei eleitoral. A falta de "investimento" em anúncios pode ser um dos motivos.

Outro pode ser a dissonância entre o setor de comunicação da prefeitura com o jornal. Talvez a linha de não dar mais exclusivas para o diário tenha causado uma indisposição. Outro fato são as constantes trapalhadas que a comunicação da prefeitura tem feito quando repassa informações incompletas e as vezes até erradas aos órgãos de imprensa.

A Caxias "da realidade" apareceu nas páginas do maior jornal da cidade, algo que o Polenta News vem mostrando diariamente há mais de 3 anos. Vamos esperar (e torcer) que a mudança de rumo tenha a ver com o compromisso com a verdade e não com a conta bancária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com