Supermercado Andreazza terá que indenizar funcionária por racismo

Uma piada contada pelo patriarca da família Andreazza a uma funcionária negra sairá caro. Queren Pereira de Souza Oliveira ganhou uma ação contra a empresa que lhe renderá uma indenização, de pelo menos R$ 66 mil.

Tudo começou, quando em 2011, Orlando Andreazza, disse que a gravidez da colaboradora Queren, na época grávida de sete meses, tinha semelhança com um automóvel com o pneu furado: ambos esperavam um macaco.

Queren não achou graça e entrou na justiça, contra os sócios da Rede Andreazza, solicitando indenização por dano moral decorrente de injúria racial. Queren ganhou em todas as instância e agora, depois de decisão final em Brasília, favorável a Queren o processo voltou a Caxias para execução judicial.

A discussão agora será apenas sobre os juros que incidirão sobre a indenização.

O caso mostra como pode custar caro para quem resolva relativizar o preconceito e achar que, em piada, vale tudo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados