terça-feira, 28 de outubro de 2014

Sartori se elege governador sem apresentar uma única proposta

José Ivo Sartori (PMDB) é o novo governador do Rio Grande do Sul. Ok, essa parte você já sabia. Ele fez 3.859.611 votos. Sartori iniciou a campanha com números modestos nas pesquisas 4% e chegou, no final do segundo turno em 61%. Isso em si só já seria surpreendente. Mas o mais incrível mesmo é que 3,8 milhões de pessoas votaram em um candidato sem nenhuma proposta.

Todo mundo tentou. Candidatos, jornalista, pessoas comuns, todos. Ninguém conseguiu que Sartori dissesse uma única proposta "com início, meio e fim", como perguntou o jornalista Artur Gubert, do La Urna (quadro de ZH) ao candidato do PMDB. Durante os 6 minutos que durou o vídeo, Sartori não apresentou nenhuma proposta, apenas ideias vagas. Criticado até pelos colunistas políticos da Zero Horao candidato do PMDB é uma grande incógnita.

Sabemos como ele foi quando prefeito. Recebeu vultuosos recursos do governo federal e quando precisou tocar obras por conta própria deixou várias coisas mal feitas. Lembramos do viaduto Campo dos Bugres que foi feito baixo demais e a pista precisou ser rebaixada; o prédio do Centro à Vida que tem graves problemas estruturais como infiltração (recentemente consertada) e baixa altura nas garagens onde quase não entram as ambulâncias; a perda de recursos para uma passarela na BR116 porque a prefeitura errou no endereço de email. Sem falar na polêmica obra do Marrecas que até agora mal e mal distribuiu água para alguém.

Sabemos que como negociador Sartori é um desastre. Os médicos ficaram 11 meses de greve sem que em nenhuma vez o prefeito reunisse com eles. Chamou para secretária de educação, Marisa Abreu que fez uma gestão tão desastrosa que até as professoras do PMDB queriam a cabeça dela. Ele foi salvo de um caos maior porque ela foi criar as escolas de lata na gestão Yeda.

Na cultura Sartori optou pela construção de uma Cancha de Rodeios e pela quase extinção da Companhia de Dança (referencia nacional), além de deixar estocados, numa sala todo o arquivo artístico do município por não conseguir usar o dinheiro. A Capital da Cultura, titulo duvidoso conquistado no seu mandato, tentou censurar shows de rock (duas vezes) e fez a doação de R$ 100 mil para fazer um filme que ninguém assistiu.

Os desafios no governo do estado serão bem maiores do que na prefeitura de Caxias do Sul. Algumas dicas ele já soltou. Irá economizar. Onde? Ninguém sabe, ele não diz. Cortar secretarias não será a solução. Não é economia suficiente e ainda tem qua acomodar 19 partidos no poder. Ele tem, por força de lei, pagar reajustes salariais ao funcionalismo já aprovados, mas não precisa conceder mais nenhum.

Sobram dúvidas sobre o que ele fará com a EGR. Pode ser que os pedágios voltem, já que Sartori defende as Parcerias Público-Privadas para manutenção das estradas.

Vamos acompanhar de perto o que serão esses próximos quatro anos de Sartori como Governador.

O Polenta News publica um levantamento das Propostas/Promessas/Desejos de Sartori. Quando forem identificadas a lista será ampliada bem como a situação ano a ano. Veja aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com