quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Projeto pela instalação de reservatórios de água chuva irá para análise do Sinduscon

Adaptações simples podem significar até em economia na
conta de água
"Caberá ao Sindicato da Indústria da Construção Civil de Caxias do Sul (Sinduscon) analisar o projeto de lei complementar, que prevê a instalação de cisternas (reservatórios), em residências e indústrias, para recolher água da chuva."

 Esse é o resumo da decisão, apresentando no site da Câmara de Vereadores, sobre o projeto de lei, de autoria da vereadora Denise Pessôa (PT) que prevê a instalação de cisternas. O projeto que tramita desde 2011 e que já foi discutido por Conselhos, Comissões e recebeu emendas, não será discutido, pelo menos por enquanto pela Câmara de Vereadores e sim pelo Sinduscon.

O pedido para que o texto fosse encaminhado pelo Sinduscon partiu do vereador Mauro Pereira (PMDB). Mauro justificou que ao enviar o texto ao sindicato busca não incorrer em erros de ordem técnica!?

Não há nenhum problema de ouvir as posições da representação patronal sobre uma matéria. O que causa estranheza é que, novamente, o vereador Mauro Pereira tenta barrar alterações na legislação de urbanismo da cidade com a desculpa de que o sindicato patronal tem mais conhecimento técnico.

Em 2012 Mauro fez a mesma coisa com o projeto de lei que alterava as regras para proteção do patrimônio histórico. Os dois projetos impactam diretamente as empresas construtoras e os empreendimentos imobiliários. Mauro Pereira parece estar fazendo lobby para esse setor só não tem coragem de assumir. 

O projeto em questão tem duplo objetivo: a utilização racional dos recursos hídricos e o posterior aproveitamento da água da chuva coletada. A medida evitaria, por exemplo, o emprego de água potável e tratada, em vasos sanitários, na irrigação de plantas, na lavagem de calçadas e veículos automotores. "Também se tenta impedir alagamentos, já que, quando chove muito, há tubulações de drenagem que transbordam", observou Denise.

Os custos, iniciais, até podem aumentar mas a cidade ganha muito com isso. É só lembrar que gastamos mais de R$ 300 milhões para a construção de uma barragem e um outro valor na casa de R$ 40 milhões será gasto para levar água potável até a casa das pessoas.

Tudo isso para que se use água limpa, tratada e potável para lavar o carro ou a calçada. Iniciativas como essas deveriam ser comemoradas e não barradas por interesses de lobistas, como está acontecendo.


Com informações da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com