Encontro na Câmara de vereadores debateu ação da Brigada e Guarda Municipal durante evento Hip Hop

Foto: Luiz Claudio Farias
Uma reunião organizada pela Frente Parlamentar em Defesa das Políticas Públicas de Juventude debateu, na noite de ontem (8), a ação da Brigada Militar e da Guarda Municipal durante a "Batalha da Estação" que aconteceu no último dia 30 de novembro.

Noticiado aqui pelo Polenta News, a atividade foi encerrada com o costumeiro "mão na parede" que infelizmente é o tratamento comum, pelas forças de segurança, nesse tipo evento (veja aqui).

Segundo o vereador Rafael Bueno (PCdoB) o encontro "serviu para dialogar com todas as partes envolvidas no caso e para que o fato não volte a ocorrer na próxima edição do evento".

Da parte da Brigada Militar o capitão Márcio Dorneles afirmou que "havia uma denúncia através do telefone 190 da Brigada Militar , de que grupos de jovens delinquentes estariam agindo na região de São Pelegrino durante a realização do evento". O capitão tentou justificar a truculência relatada pelos jovens dizendo que "o policial tem poucos segundos para agir com precisão, de outra forma,  pode pagar com a vida , caso não tome uma atitude mais enérgica em situações desta natureza".

Para nós ficou a pergunta: Que situação é essa tão perigosa que necessitou emparedar e revistar, sem encontrar nada e sem registro de ocorrência, dezenas de jovens? Havia realmente a ação de "bondes" no mesmo local ou, por puro preconceito, quem informou a Brigada Militar informou errado?

Da parte dos integrantes do movimento sobram questões e críticas. Willian Xavier, um dos organizadores,  disse que, já na primeira edição houve excessos por parte da Brigada Militar colocando mulheres e crianças contra a parede para fazer revista. "Queremos respeito e igualdade como qualquer outro evento cultural do município, fomos tratados como os marginais integrantes de "bonde". Será que estamos fazendo algo errado pela cultura da cidade", questionou o rapper.

Por parte dos parlamentares a vereadora Denise Pessoa(PT) lamentou que o Hip Hop nunca teve a visibilidade merecida. "O movimento Hip Hop é a voz da periferia e muitas vezes é calada, precisa ser escutada por nós do Poder Público". Novamente o "trofeu joinha" de opinião sem noção ficou com o vereador Mauro Pereira (PMDB) ele defendeu a ação da Brigada Militar afirmando que muitas vezes pessoas boas acabam pagando pelas ruins, ou seja, para Mauro Pereira os fins justificam os meios, não importa as consequência. É uma incrível inversão da lógica da vida em sociedade. Outra ideia "genial" do parlamentar foi retirar o termo "batalha" dos próximos eventos já que o termo causaria "antipatia" da comunidade, como se esse fosse o problema.


Infelizmente parece que houve mais desculpas do que perspectivas para que uma situação igual não aconteça na próxima edição do evento.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados