terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Asfaltamento da Plácido de Castro entra no Guinness como obra mais rápida já executada

Foto: ANDRÉIA COPINI/PMCS
O título é brincadeira, mas o assunto é sério. Nunca antes na história de Caxias do Sul, parafrasendo um ex-presidente, uma rua foi asfaltada com tamanha rapidez. E nunca antes na história de Caxias do Sul uma rua foi asfaltada sem nenhuma necessidade.

Assim que a prefeitura de Caxias do Sul conseguiu derrubar a liminar que impedia o asfaltamento da rua Plácido de Castro, na frente da Maesa, as obras começaram. Sem laudo técnico, sem licenças ambientais, os trabalhos começaram e mobilizaram um grande número de servidores públicos.

A secretaria de obras constatou que seria necessário obras de drenagem, para evitar que a rua, depois de asfaltada alague com qualquer chuvisco. Essas obras levarão de 10 a 12 dias e em seguida será jogado asfalto. As escolas de samba que desfilarão nos dias 13 e 14 de fevereiro, passarão pela rua com o asfalto ainda quente.

Até agora ninguém conseguiu dar uma única justificativa plausível para tamanha correria. Os próprios integrantes das escolas de samba afirmam que a mudança da Sinimbu, para a Plácido de Castro não era uma coisa que estava sendo discutida, foi uma proposta feita pelo prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT).

O prefeito, novamente se meteu em um imbróglio fruto de sua característica de não abrir discussão com ninguém sobre suas decisões. Com essa atitude já criou polêmica com a mudança de local da Feira do Livro, do novo local para o carnaval e, desse jeito, a população ficará "de pé atrás" com qualquer decisão que ocorra sobre a ocupação da Maesa. Alceu conseguiu colocar um voto de desconfiança em qualquer decisão que ele tenha.

Tiro no pé dos carnavalescos


Tudo que o carnaval de Caxias do Sul não precisava era dessa polêmica. Depois dele ter enfrentado polêmicas por mal uso do dinheiro repassado pela prefeitura e por acontecer durante a quaresma, a mudança de local do desfile acabou se tornando um tiro no pé.

Tudo isso graças ao temperamento explosivo do prefeito e a absoluta falta de clareza nos argumentos do presidente da Associação das Entidades Recreativas, Esportivas, Culturais e Carnavalescas de Caxias do Sul e Região Noroeste do Rio Grande do Sul (Assencar), Elvino Santos, que já foi CC durante o governo Sartori.

Elvino não conseguiu nenhuma justificativa inteligente de por que é impossível fazer o desfile sobre paralelepípedos (se até num samba do Chico Buarque eles são citados). Também não conseguiu explicar o motivo de que a empresa contratada para som, luz e arquibancada só poderia fornecer o serviço se fosse na Plácido de Castro.

De tudo isso Elvino, e o prefeito Alceu, conseguiram fazer com que a maior parte da população, que já não vê o carnaval com "bons olhos" tratasse o tema de forma ainda mais viceral e raivosa e a outra parte, que defende o evento, se colocou contra os desmandos da prefeitura.

Era tudo que o carnaval de Caxias do Sul não precisava, entrar num "grenalização" ou "cajulização" do debate.

4 comentários:

  1. É horrivel se sentir impotente diante da forma que esse prefeito toma as decisões, pelo fato de que ele faz tudo sem que o cidadão tenha o direito de opinar.
    É triste ser governado por uma pessoa que quer que a cultura desvie ao passar pela sua cidade. Que quer que as pessoas vivam em nome da "moral e dos bons costumes". É triste ser governado por um "homem de familia"
    E acho muito mais triste ainda pensar que talvez ele ainda tenha eleitores em número suficiente para reelegê-lo.

    ResponderExcluir
  2. Lembrar disso tudo nas eleições é necessário...

    ResponderExcluir
  3. Racismo esta claro,se este asfalto fosse em prol de qualquer outro movimento não a veria tanta discussão ,e sim este projeto ja estava na prefeitura a um tempo já esperando aprovação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se já tinha projeto na prefeitura, porque se esperou até 1 mês antes do carnaval para executar a obra? Quem gerou todo esse problema foi o governo municipal que usou o Carnaval de "boi de piranha" para "experimentar" uma ideia que não irá funcionar.

      Excluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com