quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Ex-apoiadores de Marina Silva organizam partido ecossocialista

Nem criar a Rede Sustentabilidade, nem ficar no PSB. Fundar um novo partido político que tenha como bandeiras o ambientalismo e o ecossocialismo é o caminho escolhido por um grupo de integrantes que Rede Sustentabilidade que "rachou" com a ex-candidata à presidenta Marina Silva (PSB).

Os dissidentes da Rede representam a ala mais a esquerda do antigo grupo de Marina. O movimento começou  a ganhar força quando ela decidiu apoiar, no segundo turno, o candidato Aécio Neves (PSDB).

O primeiro encontro do grupo está marcado para essa sexta-feira (16) em São Paulo. Segundo o porta voz do movimento, Célio Turino, a inspiração foram os grupos Podemos, que na Espanha organizou grandes manifestações de rua em 2011, e o Mas, da Bolívia. "Estamos finalizando o mainfesto e, até março, já devemos estar com o partido organizado", diz Turino. Ele ainda afirma que há organizações regionais em 15 estados.

O novo partido que tem o nome (pelo menos por enquanto) de Queremos terá quatro pilares programáticos: bem viver, bem comum, ecossocialismo e cidadania.

A grande atração do encontro, dessa sexta-feira, será a deputada federal Luiza Erundina (PSB/SP), além de representantes do Podemos.  Erundina, não esconde de ninguém, está "as turras" com a direção do PSB desde que o partido deu uma guinada a direita sem precedentes para um partido que tem socialismo no nome.

Enquanto isso Marina Silva não sabe se a sua Rede vai decolar, e ela abandona o PSB, ou se fica no partido e esquece a Rede. Para alguém que durante a campanha não conseguia se decidir isso deve ser um martírio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com