terça-feira, 17 de novembro de 2015

Contra Alckmin, alunos passam a ocupar 38 escolas

As ocupações de escolas da rede estadual paulista de ensino por estudantes, em protesto contra o plano de reorganização imposto pelo governo de Geraldo Alckmin (PSDB), com o fechamento anunciado de ao menos 93 escolas, segue ocorrendo na grande São Paulo e no interior do estado. Desde a noite de ontem (16), outras oito escolas foram ocupadas, subindo para 38 o número de unidades ocupadas, até as 10h30 de hoje (17).

Na noite de ontem (16), estudantes ocuparam a E.E. Roger Jules de Carvalho Mange, no extremo leste da capital, contra o fechamento do período noturno, conforme anunciado pela secretaria de Educação.

Pela manhã, a E.E. Godofredo Furtado, em Pinheiros, seguiu o exemplo de outra escola do bairro, a E.E. Fernão Dias Paes, que já completa uma semana de ocupação, iniciada na terça passada (10). Segundo informações dos Jornalistas Livres, a Polícia Militar acompanha pacificamente a ação. Na zona sul da capital, a E.E. Marilsa Garbosa Francisco também foi tomada pelos alunos, após se reunirem em assembleia.

Também na manhã de hoje, duas escolas foram ocupadas, em Santo André, na região do ABCD paulista: a E.E. José Augusto de Azevedo Antunes e a E.E. Dr. Américo Brasiliense, uma das mais tradicionais da região.

A presidenta da União Paulista dos Estudantes Secundaristas, Ângela Meyer, que está na Américo Brasiliense disse à reportagem da RBA que uma comissão de estudantes se reúne, nesse momento, com a direção da escola e policiais, na busca de um acordo que permita aos estudantes ocuparem ao menos o pátio da escola, que conta com a presença de cerca de 50 estudantes, nesse momento.

A E.E. Dr. Américo Brasiliense é mais um exemplo de escola que não consta na lista de fechamento, mas sofre os efeitos da reorganização, com a chegada de ao menos 12 turmas de ensino médio, acarretando em superlotação. Ângela conta também que a escola não receberá novas matrículas para o 6º ano do ensino médio, num movimento de fechamento gradual.

Em Jundiaí, estudantes tomaram a E.E. Eloy de Miranda, que deve passar a funcionar unicamente com o ensino fundamental. Em Ribeirão Pires, a E.E. Santino Carnevale também foi ocupada por estudantes ao final da manhã de hoje. Na cidade, de acordo com o plano de reorganização, apenas uma unidade receberá turmas de ensino médio no período noturno

Em Santa Cruz das Palmeiras, também no interior, a E.E. Prefeito Mario Avesani foi ocupada. Em Bauru, a E.E. Stela Machado, que deve ter encerrado o ensino médio, também foi ocupada por alunos e professores.

Durante a madrugada, em Mauá, também no ABCD, estudantes ocuparam a E.E. Maria Elena Colonia, com com apoio de pais e professores. A PM foi chamada, mas não houve violência. Pela manhã, cerca de 100 pessoas participaram de uma assembleia que decidiu manter a ocupação pelo menos até amanhã, quando haverá uma audiência pública na Câmara de Mauá sobre o tema.

Reintegração suspensa

Também ocupada há uma semana, a E.E.Diadema, teve a reintegração de posse que deveria ocorrer na tarde de ontem (16) suspensa. Assim como ocorreu com a ocupação da E.E. Fernão Dias, haverá uma audiência de conciliação com os estudantes hoje (17) às 18h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com