quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Golpista saca arma e atira em frente ao Congresso


Um manifestante acampado em frente ao Congresso Nacional foi detido na tarde desta quarta-feira 18 pela Polícia Militar do Distrito Federal após sacar uma arma e dar três tiros para o alto. A informação foi publicada no site da bancada do PT na Câmara.

Segundo a polícia, trata-se de um policial reformado do Maranhão, que já havia sido detido na última sexta-feira 13 quando falou em "matar a presidente Dilma Rousseff e jogar uma bomba no parlamento". Ele portava uma pistola e diversos tipos de armas brancas.

Hoje, o golpista iniciou um tumulto ao arremessar bombas caseiras contra os participantes da Marcha das Mulheres Negras, que reúne cerca de 10 mil pessoas nesta tarde em Brasília, e passou a ser perseguido por isso. Quando os militantes da Marcha se aproximavam, o homem sacou a arma e atirou três vezes.

Em seguida, ele correu em direção à guarnição da Polícia Militar, que fazia a proteção da entrada do Congresso Nacional, logo à frente do espelho d'água no gramado, e se entregou.

Após a prisão de sexta-feira, a bancada do PT na Câmara enviou ofício aos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), solicitando a remoção imediata dos manifestantes acampados na área adjacente ao Congresso.

Após o tumulto de hoje, o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL),ordenou que a PM do DF e a Polícia Federal investiguem o acampamento organizado por movimentos pró-impeachment, entre eles o MBL (Movimento Brasil Livre).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com