segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Justiça afasta deputado Jardel por suspeita de desvio de verbas

Onze meses de mandato, nenhuma pronunciamento e muita confusão. Esse é o resumo do talvez mais deprimente mandato de deputado estadual do Rio Grande do Sul. Mário Jardel (PSD) foi alçado a categoria de deputado graças aos votos de milhares de gaúchos que tem grande responsabilidade, nem que seja indireta, em toda a lambança que ele fez.

Diretamente responsável está o deputado federal Danrlei (PSD) que dependeu de Jardel para se eleger deputado federal, sem falar no seu partido, o PSD (partido do vice governador), que entupiu o gabinete de Jardel com militantes partidários.

A ação do Ministério Público, que afastou Jardel do cargo e realizou buscas em seus imóveis foi motivada por crimes de concussão (obtenção de dinheiro ou vantagem indevida), peculato (desvio de dinheiro por servidor público), falsidade documental, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Se não bastasse tudo isso ainda há investigação sobre financiamento ao tráfico de drogas, a mulher de um traficante teria sido empregada fantasma em seu gabinete.

Jardel teve, com autorização judicial, o telefone grampeado. Mais oito pessoas de seu gabinete também.

A lista de irregularidades não acaba e se somam a muitas outras que já aconteceram esse ano. Em abril ele afastou todo o gabinete e pediu uma licença à Assembleia. Na época ele dizia que seus assessores foram impostos pelo partido e que queria trabalhar com gente de sua confiança. Ao que parece as pessoas de sua confiança não tem uma vida muito honesta.

No meio do ano a bancada do governo Sartori fez festa com o voto decisivo de Jardel para a aprovação do reajuste do ICMS. Coincidência, ou não, Jardel parte, alguns dias depois, para uma viagem de 15 dias para a Europa, acompanhado de um assessor com todas as despesas pagas.

Na volta ele é autuado na alfândega por contrabando.

Jardel será, com toda a certeza, o segundo deputado cassado nessa legislatura da Assembleia Legislativa. Basségio perdeu o mandato por algumas questões até iguais, porém a lista de Jardel é mais longa. Ao perder o mandato ele perderá o foro privilegiado, e pelas investigações, não restará outro caminho senão o da cadeia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com