sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Sartori debocha novamente dos servidores públicos

Além de parcelar salários, não dar nenhum reajuste e querer cancelar os existentes, o governador José Ivo Sartori (PMDB) não perde a oportunidade de debochar os servidores públicos.

Durante um discurso no Palácio Piratini, Sartori afirmou que disse a um grupo de servidores: "Deem graças a Deus que vocês tem estabilidade". A reação foi imediata dos sindicatos de servidores.

A presidenta do CPERS, Helenir Schürer, considerou a frase desrespeitosa. "Ele só reforça aquela caracterização que temos do governo: para fora, ele fala de diálogo e compreensão, mas está sempre produzindo conflitos internos".

Leonel Lucas, presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Brigada Militar considerou a declaração uma barbaridade. "Se não houvesse estabilidade estaríamos na rua? Não prestamos para o serviço público?".

Isaac Ortiz, presidente do Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores da Polícia Civil, foi na mesma linha e classificou como um desastre a fala de Sartori. "É típico de quem não conhece a importância do serviço público. Ele não conhece o trabalhoda polícia. Não sabe que a gente arrisca a vida. Fala como estabilidade fosse um favor".

Para arrematar Ortiz lembra que Sartori é aposentado pela Assembleia e será aposentado como governador, "ele também é um servidor público", conclui.

A frase que na opinião unânime dos representantes dos servidores soa como deboche, mostra o lado que o caxienses conhecem, ou deviam conhecer, do atual governador, o seu desrespeito pelo serviço público e o bem público.

Quando foi prefeito de Caxias do Sul o número de Cargos de Confiança dobrou! Isso demonstra como ele gostaria de governar, só com quem pensa igual a ele. Se pudesse ele demitiria todos os servidores e contrataria só seus partidários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com