terça-feira, 31 de maio de 2016

Agride adolescente e ainda ganha capa de jornal

Para ganhar destaque no jornal basta agredir adolescente
Gilberto Freitas Couto, esse é o nome do cidadão, ou podemos chamar de criminoso, que agrediu um adolescente na manhã de ontem, 30, na Escola Estadual Apolinário Alves dos Santos.

Hoje Gilberto ganhou a capa do jornal Pioneiro, onde tenta justificar a sua atitude fascista. Na entrevista ele confessa: "vou lá quebrar esse cadeado. Peguei uma barra de ferro que tenho em casa para mexer lenha e fui".

Gilberto armado com essa barra de ferro e com a corrente que roubou do portão, invadiu o colégio e ameaçou todos que estavam lá. Bateu no estudante Paulo Bitencourt, de 17 anos, e arrancou o celular da professora Eliane Machado Cardoso da mão dela. Só devolveu o celular depois que ele foi avisado que seria feito um registro de roubo. Esse celular foi o que gravou as imagens dele.

Sem a gravação, não se sabe o que ele poderia ter feito, até mesmo ferido gravemente alguma pessoa.

Em sua tentativa patética de se justificar ele diz que precisa ter onde deixar a filha. Para Gilberto a escola é lugar de depósito onde ele larga os filhos. É por pessoas como ele que a educação anda de marcha a ré no país.

Na entrevista o Pioneiro ele pede desculpas, numa tentativa desesperada de fugir das responsabilidades de múltiplas agressões e intimidação. Ele sabe que a "chapa esquentou" pro lado dele e a valentia já desapareceu.

Ao Pioneiro ele diz que não é um "monstro". Isso é verdade não é um monstro é só um criminoso que precisa responder pelos seus atos.

Lamentavelmente a raiz do problema não é discutida em nenhum momento. Não há menções do imobilismo do Governo Sartori em buscar uma solução para o problema. Soma-se a isso que o secretário de Educação, Vieira da Cunha (PDT), estava de férias até essa semana e que ontem (30) anunciou sua exoneração para concorrer a prefeito de Porto Alegre.

Veja abaixo o vídeo das agressões.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com