"Pedalada" de Alckmin dá prejuízo de R$ 333 milhões ao Metrô

Enquanto a população pega trem lotado a empresa privada
garante seu lucro graças a benevolência tucana
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) usou verba da tarifa do metrô paulista para pagar obrigações contratuais com uma operadora privada que administra uma das linhas do sistema.

A "pedalada" milionária acontece desde o início da operação comercial da linha '4-amerela', em 2011, e gerou um prejuízo de R$ 332,7 milhões até 2014.

A dívida só foi reconhecida em outubro do ano passado, mas esse reconhecimento gerou o perdão da dívida do Metrô como governo do estado o que acabou gerando prejuízo para a empresa pública que enfrenta uma grave crise financeira.

Além desse valor um relatório do Metrô aponta que em 2015 houveram mais R$ 136 milhões em "pedaladas". Para aumentar a crise o governador tucano ainda deu um calote de R$ 66 milhões em 2015 não repassando os valores que seriam usados para cobrir os custos das gratuidades.

Quem paga a conta do desgoverno tucano?

A população que paga mais caro pelo transporte público e que não tem um serviço de qualidade porque ele é sucateado pela falta de recursos.

Quem não perdeu foi a ViaQuatro, que opera a linha privatizada. Pelo acordo ela recebe, com prioridade, o valor arrecadado com a tarifa. Além disso ela recebe um valor maior do que o pago pelos passageiros. No fechamento do contrato a empresa privada recebia R$ 0,13 a mais do que o passageiro paga. A diferença era coberta pelos cofres públicos, ou no caso, pela empresa Metrô, que é pública.

Essa "contabilidade criativa" está causando prejuízo a população paulista e ainda beneficiando uma empresa privada. Mas, como no caso, do Trensalão, nada está sendo apurado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados