quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Quem montou o “putsh” fascista na Câmara?

Por Fernando Britto/Tijolaço

Aquelas 60 ou 80 pessoas que invadiram a Câmara, hoje, vindas de vários Estados, encontraram-se ali por acaso?

Foi coincidência?

Como entraram na Câmara, como combinaram a invasão do plenário?

É evidente que isso foi organizado e teve apoio interno.

Mesmo sendo uma mixórdia o nosso parlamento, se não de defende de quem lhe faz isso, melhor fechar.

É evidente que, pela natureza do protesto, todos tendem a liga-lo a Jair Bolsonaro.

A nossa valente imprensa foi incapaz de investigar este filão.

Como não vi ninguém ir atrás de Sérgio Moro, que teve seu nome gritado pelos invasores, para ouvi-lo desculpar-se, se é que o vai, ter contribuído para este fanatismo, que ele cansou de chamar de “apoio da opinião pública”.

Como não é capaz de investigar este vilão, que se mandou para Roraima no dia do “bolsomitismo”.

Permite que ele faça apologia aberta do autoritarismo, da tortura, do preconceito e da discriminação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com