sexta-feira, 6 de março de 2015

O Monstro do Lago Marrecas

Podia ser título de filme de terror, mas é a mais dura realidade. Nesse caso o monstro não é um ser mitológico, nem um remanescente do tempo dos dinossauros. O monstro em questão é formado por mal uso do dinheiro público, discursos falsos, falha de projeto e erros gravíssimos de gestão na construção da Barragem do Marrecas.

Passados mais de 2 anos da inauguração da obra (804 dias segundo o contador do Polenta News), até agora as torneiras dos caxienses não receberam nenhuma gota de água da obra planejada, realizada e elaborada pelo, hoje governador, José Ivo Sartori (PMDB).

Pior do que inaugurar uma obra que não funciona há dois anos é a sucessão de problemas que vão começando a surgir com o passar do tempo. Há mais de 800 dias a barragem vaza por todos os cantos. O consórcio Fidens Sanenco está resolvendo as infiltrações que foram ocasionadas por falhas na obra, mas tem mais, muito mais.

O Ministério Público Federal designou o engenheiro Luiz Alberto Braun para fazer uma avaliação da obra. Ele constatou que um defeito no estudo geológico está causando o aparecimento dos vazamentos da barragem que começaram a aparecer em 2012 e 2013 assim que o lago começou a ser enchido. Para resolver esse problema  o Samae abriu uma licitação, no valor de R$ 2,5 milhões.

O problema mais grave, no entanto, apareceu logo que a obra começou e foi escondido pelo poder público. Quando começaram as escavações foi encontrado um tipo de rocha diferente, da avaliada, que exigiu mais trabalho e, por consequência, mais recursos. Para bancar esse custo o Samae adquiriu empréstimos para bancar o trabalho extra.

Na sessão de ontem da Câmara de Vereadores um pedido de informações, protocolado pela bancada do PT, pede esclarecimentos sobre a obra e, principalmente, sobre o não funcionamento do sistema até hoje. O Samae terá 30 dias para responder as seguintes perguntas:

- Quantos e quais bairros estão sendo abastecidos com água do Sistema Marrecas?

- Qual é o volume da água tratada e faturada no sistema? Informar mensalmente desde a sua inauguração.

- O Samae já assinou o termo de recebimento de todo o Sistema Marrecas?

- Qual é o custo para o conserto dos vazamentos na represa e quem pagará?

- Quais foram os problemas detectados no reservatório de lavagem dos filtros da Estação de Tratamento de Água Morro Alegre, que ocasionaram a suspensão do fornecimento de água do sistema? De quem é a responsabilidade?

- Qual é o motivo dos bairros abastecidos com água do Sistema Marrecas estarem ligados também no sistema Faxinal?

Esse não é o primeiro pedido de informações, e pelo jeito não será o último. Durante toda a obra a oposição ao governo Sartori apontou problemas nas obras. Entidades ambientais mostraram o impacto nocivo da barragem e que o local da obra estava equivocado (o que parece que está cada dia mais correto). Mas nada disso foi levado em conta. O desejo de Sartori inaugurar a obra era mais importante do que fazer algo do jeito correto. A conivência da bancada situacionista é quase criminosa, nesse assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com