quinta-feira, 2 de abril de 2015

O mundo cão do trabalho em Caxias

Se contar ninguém acredita. Um empregado de uma empresa metalúrgica ingere, no local de trabalho, uma quantidade significativa de solvente, ele podia estar, ou não, tentando o suicídio. Em razão de seu ato esse trabalhador precisa de cuidados médicos e, até mesmo psiquiátricos, para evitar que ele morra ou que o fato venha a se repetir. 

Qual a atitude da empresa? 

Suspende o trabalhador por três dias "por ingerir propriedade da empresa", não presta socorro, não comunica as autoridades e ainda avisa que se o fato vier a se repetir ele será demitido. 

A cena, se pintada, seria um quadro de surrealismo, mas é a mais pura verdade. 

Quem levou o trabalhador para atendimento médico foi a família. A empresa simplesmente ignorou o fato. A situação foi tão inacreditável que chocou o médico Marlonei dos Santos, que examinou o paciente. Foi Marlonei que comunicou o Ministério do Trabalho sobre o ocorrido. 

O desrespeito com a vida de uma pessoa é latente nesse caso. Como disse uma vez Charles Chaplin: "Não sois máquina! Homens é que sois!". Menos em Caxias. 

Um comentário:

  1. Isso é realmente muito grave. Infelizmente não é uma noticia porque é vaga, não aponta nada, nem empresa, nem trabalhador nem nada. Como saber se é verídico ? Além de que se realmente ocorreu é preciso investigar antes de tirar conclusões precipitadas como é o caso do enunciado. claramente tendencioso. É preciso investigar em que condições ocorreu o caso, se a contaminação ocorreu de forma involuntária, se a atividade do trabalhador envolve o tipo de produto mencionado. Gostaria de conhecer melhor este caso. Divulgado assim é muita irresponsabilidade !

    ResponderExcluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com