sábado, 25 de junho de 2011

Marlonei e Sartori uma dupla que despreza a população

O prefeito, José Ivo Sartori, e o Presidente do Sindicato dos Médicos, Marlonei dos Santos são protagonistas de uma das mais deprimentes quedas birras da história de Caxias do Sul. Nunca antes na história da nossa cidade se viu tanto descaso, diria até desprezo, pela população como nessa greve dos médicos.

Na foto o presidente do Sindicato dos Médicos,
Marlonei dos Santos, entrega ao vereador Renato
de Oliveira (PCdoB) a contraproposta salárial

Foto: Fábio Rausch
O movimento não é recente, é muito mais do que os 74 dias de paralisação completados hoje. No nosso site há a contagem desde que o sindicato médico deflagrou o movimento pela primeira vez isso há 446 dias. Nesse tempo todo a justiça considerou o movimento legal, ilegal, decretou multa, disse para cobrar o ponto dos profissionais, mas em nenhuma vez, repito, nenhuma vez o Prefeito sentou com o sindicato para negociar. E olha que os dois não são inimigos, o Marlonei foi apoiador do Sartori!

Algumas questões nos chamam a atenção.

A primeira é se o ponto dos grevistas está sendo cortado. Sartori foi um apoiador de primeira ordem da ex-governadora Yeda que cortou o ponto quando os professores estaduais fizeram greve. Será que na concepção do Sartori pode cortar o ponto de professor e não de médico?

A segunda é porque a elite caxiense que é a primeira reclamar quando metalúrgico, professor ou gari fazem greve está silenciosa até agora?

Terceiro, por que o prefeito Sartori se recusa a discutir com o presidente do Sindicato Médico? Acredito que durante a campanha eles devem ter sentado e conversando muitas vezes, em grandes jantares.

Quarto, por que a justiça que quando é trabalhador assalariado age rápido para condenar uma greve está demorando tanto tempo quando quem está no movimento é de um setor economicamente muito mais favorável?

Quinto. Qual o motivo do silencio das entidades de moradores de bairro? Sei que a antiga diretoria da UAB estava no bolso do prefeito, mas será que a atual ainda continua?

Na ultima terça feira, 21, o presidente do Sindicato Médico apresentou a primeira contraproposta, até agora, à Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara de Vereadores. A proposta é de abono de 55% sobre o salário base e congelamento de 1 ano (até as vésperas das eleições municipais) da reivindicação do piso nacional de R$ 9.188,22. Entretanto a Secretária de Saúde já disse que não aceita a proposta.

Na quarta feira, 22, durante a sessão da Câmara, o vereador Mauro Pereira (PMDB) chegou a dizer que o presidente do sindicato médico deveria ser preso se descumprisse a ordem judicial. Na mesma sessão a vereadora Ana Corso disse que o prefeito Sartori deveria ser penalizado.

Concordamos com os dois. E você?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com