sábado, 18 de fevereiro de 2012

Quer estragar um espetáculo? Chame o Palavro

Foto: Revista O Caxiense
O desfile da Festa da Uva, podemos dizer, foi a melhor coisa que foi apresentada nessa festa até agora. Depois de uma divulgação atrapalhada, uma decoração feia, o desfile realmente surpreendeu. Fez isso sacrificando a possibilidade da população poder ver ele, mas isso é assunto para outro comentário.

Mas mesmo com a possibilidade de um grande espetáculo tinha que vir um cidadão é fazer bobagem, e não é qualquer cidadão, é o Presidente da Festa da Uva, Gelson Palavro (aquele mesmo que levou uma multa por uma poda irregular de Palmeiras Imperiais).

Desde o resultado do concurso para Rainha da Festa da Uva um grupo de candidatas está em pé de guerra com a comissão organizadora porque ela se nega a mostrar as notas das candidatas. Provavelmente por algo a esconder ou para que não se crie um ranking o que geraria além da quarta, quinta, sexta colocada, também a última.

Esse grupo de candidatas entrou com um processo na justiça para poder ter acesso as notas. Ai, como se diz, se você quer encontrar um cabeça dura chame um gringo, essas moças foram excluídas de todas as atividades da festa, inclusive de desfilar no carro oficial das “Embaixatrizes”, ou seja, de quem concorreu mas não ganhou. E não é que uma embaixatriz não gostou da ideia da exclusão e foi para o desfile assim mesmo!

A cena, que virou incidente, foi captada pela reportagem da revista O Caxiense. O repórter Rafael Machado, estava presente quando Lisiane Viezzer Bordin tentou subir no carro da embaixatrizes e foi barrada pela pessoa responsável pelo carro e então decidiu desfilar a pé.

Questionado sobre esse “procedimento”, Palavro, a única pessoa que quis falar com O Caxiense, disse: “Fiquei sabendo dessa iniciativa dela. A gente fica chateado porque ela não demonstrou interesse durante todo o trabalho, nunca participou, e estava junto com as que ficaram contra a festa”.

Nessa frase está bem claro o tipo de pessoas que compõem a tal comissão comunitária da Festa da Uva. Ao que parece para todo mundo, essas garotas não estão contra a festa, como arrogantemente Palavro afirma. Elas só querem algo que, no entendimento delas, e de boa parte da população é um direito. Ao invés de construir alguma ponte para superar essa crise, a pessoa que tem a missão de organizar a festa , banca a arrogante e intransigente.

No fundo, no fundo, a Festa da Uva é o último bastião onde a elite italiana decadente se apóia. Palavro é um representante dessa elite. É um representante do pensamento atrasado que ainda existe em Caxias e que transforma a nossa cidade numa província com meio milhão de habitantes.

Como disse Paulo Roberto Cemin num comentário, no Facebook, onde a matéria foi compartilhada: .”isso é uma vergonha pra cidade e pro turismo de Caxias, pois imagina só o que os turistas vão dizer ao saberem de tamanha atitude como essa, dessa estupidez só porque uma embaixatriz esteve pedindo transparência na escolha e agora é impedida de desfilar. Que atitude arrogante da organização, estupidez e mediocridade total”.

Concordamos com você Paulo.



PS: Para não deixar passar desapercebido. O mesmo Palavro simplesmente “esqueceu” de citar a presidenta Dilma no seu discurso. Essa é mais um prova de que com certeza ele está na função errada.

Um comentário:

  1. Sim, foi rídiculo... as meninas só querem justiça.. estão com medo de mostrar as notas pq? Aí tem!

    ResponderExcluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com