quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Farra das horas extras não começou em janeiro de 2013

A reportagem publicada na edição de hoje do jornal Pioneiro é um escândalo. Servidores, talvez desmotivados pelos baixos salários, mas com certeza aproveitando da parceira das chefias e do descontrole da secretaria, fazem de conta que trabalham, além do seu horário de expediente para receberem horas extras.

Apesar de ter sido dito na reportagem é bom frisar que isso não começou em 2013. Na verdade a reportagem tenta dizer que o governo Alceu está tomando uma atitude quanto a isso. Em parte é verdade porém, como se viu, apesar do atual secretário de obras, Adiló Didomenico (PTB) saber do fato, como foi afirmado na reportagem, nada mudou. O Pioneiro afirma em um trecho: "Indignado com a situação, Didomenico reuniu os chefes das equipes e advertiu sobre as irregularidades.". O secretário até pode estar indignado mas parece que suas chefias, que recebem FGs (Funções Gratificadas), não fizeram muito para coibir a prática.

O que mais indigna, na verdade, é saber que durante o governo Sartori essa prática pode ter sido comum. Um dos funcionários ouvidos pela reportagem do Pioneiro, que recebem a alcunha de funcionário 2, afirmou: "Faz muito tempo. Só que isso já foi pior."  O que tem a dizer os secretários que passaram pela pasta? Nos oito anos de Sartori passaram pela pasta: Mauro Pereira, Francisco Rech, Eloi Frizzo, Celso Empinotti e Norberto Soletti. Em todos eles isso acontecia? O prefeito Sartori não sabia de nada? Ele não deve ser responsabilizado por isso?

Qualquer pessoa com um pouco de inteligência já percebeu que todo o dia surge uma irregularidade que acontecia no governo Sartori, além das tantas já relatadas nesse blog e até na mídia. O que causa estranheza é que isso só surgiu agora, depois das eleições. O governo de faz de conta, de Sartori, vendido pela propaganda eleitoral e pela mídia era, exatamente isso, de faz de conta. Agora que fomos enganados na eleição, sobra exigir que essas barbaridades sejam corrigidas e que outras não venham a acontecer.

Direito ao contraponto
Obviamente os servidores tem todo o direito de se defenderem. A reportagem também deixa muita margem para constatação já que não há, nem nas fotos, nem nos vídeo qualquer indício que as pessoas estão realmente indo bater o cartão depois do horário, pois não dá para saber em que horário as imagens foram feitas.

Mas conhecendo o descontrole promovido pelo governo Sartori na prefeitura não é difícil acreditar que tudo seja verdade.

Um comentário:

  1. Era bom saber quem autorizou a certos funcionarios ganherem horas extras em segredo registradas em livro ponto,e o rombo na saude quando vão revelar, pelo vis to o governo Sartori era uma farra geral.

    ResponderExcluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com