domingo, 6 de janeiro de 2013

Retrospectiva 2012 - Parte 3

Julho

Eleições 2012 - Enquanto a composição das alianças avançava, mais partidos aderiam a campanha de Alceu, todos com o seu devido CC na prefeitura em troca. O último partido a ingressar nesse trem da alegria foi o PSC. Iniciada a campanha eleitoral a Rádio Caxias (foto) realizou o primeiro debate. Nele o candidato do PCdoB, Assis Melo, foi o mais contundente nas críticas ao candidato situacionista, Alceu Barbosa Velho. Quem imaginaria que 5 meses depois o PCdoB ingressaria no governo Alceu? A primeira pesquisa após o início da campanha eleitoral mostrava o crescimento das candidaturas de Alceu e de Daneluz e começava a queda na intenção de votos em Assis. Em outubro Alceu ganharia no primeiro turno, Daneluz faria mais de 20% dos votos e Assis 10%.

Turismo - Uma nova denúncia atingiria a secretaria de turismo. Agora era a contratação de recepcionistas para a Festa da Uva. Segunda a denúncia foram pagas o dobro de pessoas que realmente trabalharam. O caso está sendo investigado.

Lazer - Brinquedos quebrados, campinho de futebol destruído, paredes caíndo, esse é o retrato da área de lazer do bairro Planalto Rio Branco. A área está abandonada há muito tempo e a prefeitura só faz promessas de recuperação.

Intolerância - Mais uma vez Caxias é vergonha nacional. Motivado por um servidor da justiça do trabalho, que tem função de garantir a lei, um movimento contra uma palestra que seria dada pelo exilado italiano Cesare Battisti teve que ser cancelada, o motivo? Uma ameaça de depredação da livraria Arco da Velha. As autoridades de Caxias não fizeram nada para coibir ameaças de violência. Entretanto Battisti acabou vindo, mas em outro local e inclusive circulou pelas ruas da cidade. Os baderneiros perderam a batalha.

Agosto

Eleições 2012 - A campanha continuava e a campanha situacionista continuava brincando com os eleitores. Num ato que classificamos de deselegante, os correligionários de Alceu Barbosa Velho, arrumaram um bolo de aniversário (foto) com desenho da prefeitura e cheio de bandeirinhas dos partidos coligados, numa clara demonstração que consideram a prefeitura como sua propriedade. Outro candidato que considera uma entidade sua propriedade foi Daltro da Rosa Maciel (PSB) que enviou seu material de campanha junto com a correspondência oficial da UAB.

Prefeitura - No mês de agosto mostramos um dos motivos de porque a administração Sartori é tão elogiada pela imprensa de Caxias. Até julho já havia sido gasto mais de R$ 2 milhões em publicidade institucional. A RBS recebeu a maior parte do bolo. Fo também em agosto que a prefeitura começou a fazer um "assassinato" ambiental com podas de árvores que iam quase até o tronco. Apesar da insatisfação de boa parte da população as podas continuaram do mesmo jeito. Também mostramos, mais uma vez, o descaso da prefeitura com a saúde pública retratando um dia, literalmente 24 horas de espera para um atendimento no Postão.

Setembro

Eleições 2012 - Reta final da campanha e o clima esquentou. O Ministério Público entrou com representações contra Alceu Barbosa Velho, Assis Melo e Marcos Daneluz. As denúncias contra Daneluz, sobre uma suposta meia nota em gráfica foram consideras improcedentes. As contra Assis Melo, participar de atividade do sindicato enquanto estava licenciado para concorrer, ainda não foi julgado. Alceu foi condenado duas vezes por uso de imagens e da máquina pública em sua campanha. Ele ainda teria mais uma representação no "escândalo dos CC8" que foi uma gravação de um jantar no começo do ano onde Alceu promete um CC8 para cada partido que se coligasse a ele. Outra polêmica do final da campanha é a ausência frequente do candidato Alceu aos debates dos prefeituráveis. Um debates, inclusive, teve uma forte pressão "de cima" para que ele não acontecesse já que os outros candidatos a prefeito não aceitvam a presença do vice.

Marrecas - Mais uma vez a obra do Marrecas geraria polêmica. Dessa vez é pelo uso de servidores e equipamentos da prefeitura na obra. A empresa que havia ganho a licitação para a limpeza da área, não estava dando conta aí a prefeitura, para acabar logo a obra antes da eleição deu uma ajudinha com mais recursos públicos, além dos já pagos. A bancada governista na Câmara de Vereadores conseguiu barrar um pedido de informações e mais uma questão, envolvendo dinheiro público, ficou sem explicação.

Meio ambiente - Um deputado do PTB, Ronaldo Santini, apresentou um projeto que permitia a comercialização de agrotóxicos proibidos nos seus países de origem. A lei ambiental gaúcha, sobre esse tema, é uma das mais avançadas do país e das que mais protege o meio ambiente. Porém o deputado queria mudar essa realidade. Na comissão de agricultura somente os dois deputados do PT, Raul Pont e Edegar Pretto, votaram contra o projeto. Felizmente uma mobilização popular impediu que ele fosse adiante, por enquanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com