quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Retrospectiva 2012 - Parte 5

Novembro

Eleições 2012 - A eleição em Caxias do Sul trazia desdobramentos ainda em novembro. As representações contra os candidatos estavam sendo julgados. Alceu Barbosa Velho é condenado pela segunda vez por irregularidades na campanha. Sua pena foi uma multa. Saíu barato perto da vantagem que ele obteve. Enquanto isso o candidato petista Marcos Daneluz era inocentado da denúncia da "caixa 2", que também prejudicou a sua campanha. Aqui perto, em Jaquirana a Justiça Eleitoral desmonta uma rede de corrupção eleitoral que agiu durante a campanha. São presos vereadores, candidatos, filho do candidato a prefeito. Uma multidão se reuniu em frente a delegacia. Não para pedir justiça, mas para tentar libertar os corruptos. Corruptos e corruptores de Jaquirana mostraram como é o Brasil do voto em uma pessoa e do abuso de poder econômico. Os envolvidos estão soltos.

Política - Como se não houvessem muitas, em 2012, uma nova bizarrice política nasce. Ou melhor, renasce. Uma estudante caxiense que já passou pelo DEM, PP e PCdoB, resolveu recriar a Arena. Em seus quinze minutos de fama conseguiu projeção natural. Porém a vida não foi tão fácil com o passar dos meses já que as disputas internas começaram. Por enquanto todas abafadas pelo "tribunal de inquisição" que tem poder de expulsar do partido quem um grupo de 5 pessoas quiser. Na Câmara de Vereadores a bancada governista foi contra uma moção que pedia a devolução do valor cobrado ilegalmente da população pelo Samae via Fundo Municipal de Recursos Hídricos, a Taxa Sartori.

Os governista trataram com desdém a população, que já paga caro a conta de água, e receberam de braços abertos quem tem muito dinheiro. Um projeto apresentado pelos vereadores Eloi Frizzo (PSB) e Mauro Pereira (PMDB) propôs mudar a classificação do plano diretor urbano de Caxias do Sul para beneficiar um campo de golfe que fica ao lado do Faxinal. Taxa para os mais pobres, insenções para os mais ricos.

Patrimônio histórico - Despreparo e desrespeito causaram a derrubada do pórtico da antiga cantina Luiz Antunes. Um caminhão com altura maior que o permitido derrubou a estrutura histórica. A empresa, dona do caminhão, se comprometeu a restaurar o pórtico, resta saber se isso realmente acontecerá.

Dezembro

Governo Alceu - A montagem do próximo governo começou com uma polêmica que foi "esquecida" pelos meios de comunicação. Alceu nomearia a esposa como coordenadora de comunicação da prefeitura, um CC8. Alertamos para esse nepotismo, a resposta oficial do governo é que ela assumiria mas manteria o salário que já recebe como servidora municipal, é esperar para ver. Além da montagem do governo a base aliada recebeu mais dois partidos. O PCdoB forte crítico a administração Sartori e ao programa de governo de Alceu, durante a campanha, mudou o discurso em troca de uma secretaria na prefeitura, a de Habitação, que terá como titular Renato Oliveira (foto). O DEM fechou acordo para se somar a base do governo sem consultar seu candidato a prefeito. De resto o novo secretariado mostrou o ressurgimento de várias caras conhecidas da política. Pouca renovação, muito loteamento de cargos.

Câmara de Vereadores - No apagar das luzes do final de ano a Câmara de Vereadores aprovou uma lei que busca restringir o acesso a internet em Caxias do Sul. Como não pode legislar sobre os provedores os vereadores escolher as lan houses. A exigência de um cadastro para acessar internet além de inócua não cumpre nenhum dos objetivos propostos pela lei. Ela só serve para mostrar o quanto é reacionária a maioria da Câmara de Vereadores. Alias essa legislatura encerra com a marca da impunidade. Harty Paese que falsificou atestados médicos e Pedro Incerti que saiu no soco com outro vereador, sairam sem nenhuma punição por seus atos. Os dois pedetistas deveriam ser exemplo de como não se faz política. Viraram exemplo de impunidade.

Poder Público -  O alardeado índice de 86% de cobertura de tratamento de esgoto de nossa cidade, muito usado na campanha eleitoral, mostrou-se falso. O índice real é bem menor, chega a 56%. Esse seria uma das muitas "histórias fantasiadas" que começam a ser descobertas na pós eleição.

Final de ano e início da temporada de reajustes das tarifas públicas. O CMTT aprovou um reajuste de 8% para a passagem de ônibus, mas já estava acertado que Sartori faria jogo de cena e aprovaria um reajuste menor. Na semana seguinte ele não foi tão bonzinho e reajustou a tarifa de água em quase 20%.

No final do ano, pomba madrugadora se deu mal. Um individuo, aínda desconhecido, pois a prefeitura se recusava a pedir as imagens das câmeras de segurança da praça, espalhou um farelo que matou mais de 100 pássaros. Com a mudança do secretário do meio ambiente o caso começou a ser investigado pela prefeitura também.

Política - Em resposta ao renascimento do partido que deu sustentação política a ditadura militar no Brasil manifestações aconteceram, em todo o país, contra essa aberração política. Caxias também se somou a esse movimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com