sexta-feira, 18 de outubro de 2013

ATUALIZADO: "Não tenho função. Sou CC"

Atualização: Pressionado pela grande polêmica que o caso gerou o prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) mandou instaurar sindicância para avaliar o caso. Sandro ficara 15 dias afastado (sem receber) até o fim do processo administrativo. A abertura da sindicância contraria o que afirmaram o secretário de cultura, João Tonus, e o presidente da Festa da Uva, Edson Nespolo, de que não viam problema nenhum no fato. (18/10)

A frase do título é de Sandro Maurício da Silva que é cargo de confiança (CC) da Secretaria de Cultura. Sandro é conhecido, também, pelo nome artístico de Valma Classic. Sandro está envolvido, mais uma vez, numa polêmica. Sandro usou, na Parada Livre de Esteio, o vestido usado por Tatiane Frizzo, quando foi escolhida Rainha da Festa da Uva de 2010.

O vestido não é o "oficial". Portanto não foi pago com recursos públicos (o que já é um absurdo pagar um vestido com dinheiro público, mas isso é outra discussão). Ele foi financiado pela comunidade de Forqueta pois ela representou, no concurso a Festa do Vinho Novo. Tatiane havia emprestado o vestido, para a Secretaria de Cultura, para uma decoração, não era nem exposição, no prédio da secretaria.

Tatiane ficou indignada. Sandro admitiu o erro. E esse, convenhamos não é o maior problema de Caxias.

Entretanto.

Quando ele foi perguntado pela reportagem do Pioneiro sobre qual sua função na Secretária, Sandro tascou. "Não tenho função. Sou CC".

Como assim?

CC não tem função? Se não tem função ou trabalha de mais ou trabalha de menos. Isso é sintomático em relação ao quadro de cargos de confianças da prefeitura. Eles foram distribuídos às pencas, em troca de apoio eleitoral. Deu no que deu. Cargo de Confiança que acha que não tem função e daqui a pouco acha que não tem que trabalhar.

Sandro também gerou uma polêmica enorme, no ano passado, pois ele também é coordenador da Parada Livre de Caxias do Sul. Para coincidir com o número do candidato situacionista a prefeito, a edição da Parada Livre mudou de 11 para 12 (leia aqui). O evento, inclusive, foi realizado, estrategicamente, uma semana antes das eleições. Nesse ano, tudo voltou ao normal (veja aqui). O evento segue a contagem, e não houve preocupação de coincidir com a Feira do Livro, justificativa do ano passado.

Lamentável é que essas trapalhadas todas estão comprometendo uma luta extremamente importante que é a da liberdade de opção e o respeito a diversidade sexual. Não é a toa que Sandro tem tido cada vez mais rejeição dentro dos militantes GLBTT.

3 comentários:

  1. Bah! Tudo que eu quero é não ter função, e ainda ganhar bem pra isso..Como se faz pra entrar nessa barbada???

    ResponderExcluir
  2. Bem que eu estranhei quando este Senhor saiu em sua camionete, com o som no último volume tocando um jingle de ofensa aos outros partidos, e eu na minha ingenuidade pensei que fosse apenas uma pessoa comum que estivesse festejando a vitória de um determinado candidato a prefeito, agora tudo foi explicado, ser CC, não ter nenhuma função e ainda ganhar bem é motivo para festejar a noite inteira.

    ResponderExcluir
  3. Penso que independente de opção sexual ou partido, trata-se de uma pessoa extremamente desqualificada, baixa e acéfala. Mais um que usa cargo público apenas em benefício próprio. Apenas lamento que mais uma vez vai ficar tudo como está. Mas....assim como o dia nomeação veio, o dia de deixar a "cadeira" também chega, e aí volta pro bolsa família SR.SANDRO.

    ResponderExcluir

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com