quinta-feira, 20 de março de 2014

Secretária de Educação não dá explicações em audiência sobre falta de monitores em escolas

Foto: Luciane Modena
Atendendo a uma convocação proposta pelos vereadores Denise Pessôa, Rodrigo Beltrão, ambos do PT e Daniel Guerra (PRB), a secretária de educação Marléa Ramos Alves (PDT), participou de audiência da Comissão de Educação da Câmara de Vereadores (veja aqui). O tema do debate era a falta de monitores, nas escolas municipais, para atendimento às crianças com deficiência.

Conduzida pelo presidente da comissão, Pedro Incerti (PDT) que também é líder do governo na Câmara, a audiência foi decepcionante.  Segundo relato de uma das mães que acompanhava a audiência, ouvida pela Folha de Caxias, "Saio daqui insatisfeita, não respondeu [a secretária] todas as nossas perguntas. É um descaso", comentou Lucélia Fontoura, mãe de um aluno autista de oito anos e que está sem cuidador.

Depois de uma longa apresentação inicial, tática comum em audiência públicas com entes governamentais que tem pouca coisa para dizer, Marléa tentou justificar a situação "a falta deles [os monitores] foi ocasionada pelo atraso do licenciamento da empresa contratadora dos cuidadores (Top Sul)", afirmou.

Durante a sessão da Câmara de Vereadores que aprovou a convocação da secretária, Pedro Incerti chegou a afirmar que o monitores estariam trabalhando já na segunda feira, dia 17. Como se percebe isso não aconteceu e Marléa prometeu que eles serão contratados "até o final do mês".

A tentativa de blindagem da secretária do governo Alceu continuou nas fase de perguntas. Depois de inúmeras falas de mães de alunos, a secretária foi dura na resposta, "os cuidadores estão chegando às escolas", respondeu secamente.

Somente dois vereadores fizeram uso da palavra, todos da oposição. Daniel Guerra e Denise Pessôa foram enfáticos nas cobranças para a resolução do problema. Foi aí que o presidente da comissão resolveu encerrar os trabalhos. Incerti cortou o microfone dos vereadores e da secretária alegando que era necessário dar início a sessão plenária. Daniel Guerra ainda pediu para a secretária que permanecesse na sala para responder as perguntas. A secretária negou o convite e disse que mandaria as respostas por carta! Pode?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com