segunda-feira, 10 de março de 2014

Simon teve R$ 62 mil de gastos dentários reembolsados pelo Senado

Foto: José Cruz/ABr
O Senador Pedro Simon (PMDB/RS), que adora dar discurso na tribuna do Senado defendendo a moralidade e o bom uso do dinheiro público, não prestou muita atenção em seu próprio discurso e cobrou, e recebeu do Senado, a quantia de R$ 62,7 mil gastos em implantes dentários.

O valor reembolsado em 2012 supera a cota anual, que já é gigantesca, em mais de duas vezes. Pelo regramento do Senado, serviços odontológicos, tem um teto de ressarcimento de R$ 25,9 mil anuais. Simon afirma que usou "pedaço da cota do ano seguinte, em duas parcelas",  e ainda retrucou, em um tom que parece de deboche "Digo mais: foi feito a esse preço porque chorei, chorei e foi um preço bem menor. O valor inicial era coisa de R$ 80 mil a R$ 85 mil".

Para o Senador peemedebista o povo brasileiro deveria ficar feliz por que ele pechinchou. O "arauto da ética" como seus fãs o nomeiam não teve pudores em gastar exorbitantemente o dinheiro do contribuinte. Soma-se a isso o fato de dificilmente vermos algum projeto de lei, ou iniciativa legislativa, feito pelo Senador Simon nesse últimos 24 anos de mandato.

Simon pode, entretanto, justificar que não está sozinho nessa situação. Outros Senadores também usufruíram do mesmo benefício. Segundo reportagem do Estadão o Senador Agripino Maia (DEM/RN) creditou R$ 51 mil em 2009, referentes a 22 coroas de porcelana aluminizada, produto mais caro e que confere aparência melhor. Até mesmo o Senador Demonstenes Torres (DEM/GO) cassado pelo Senado por quebra de decoro parlamentar teve R$ 5.362,80 ressarcidos em notas apresentadas seis meses após a perda do mandato. Outro caso de político que deixou o cargo sob suspeita de desvios é o do ex-senador Expedito Júnior (PSDB-RO). Júnior foi reembolsado em R$ 19.238,6 pelo Senado após apresentar em junho de 2012 notas referentes a um tratamento médico e odontológico para ele e a esposa.

O plano de saúde do Senado é vitalício. Quando o Senador deixar o cargo ele, seus cônjuges, filhos e enteados, continuarão usufruindo do benefício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com