sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Governo Sartori deve cerca R$ 3 milhões a hospitais caxienses

HG, que recebeu R$ 8 milhões de investimentos em 2013
hoje tem R$ 1,5 milhões não pagos pelo Sartori
O decreto do governador Sartori (PMDB) que suspendeu os pagamentos, por 180 dias, os restos a pagar do governo anterior, somado aos cortes de 20% no orçamento de todas as pastas, causará sérios problemas ao atendimento hospitalar de Caxias do Sul, e de todo o estado.

Tanto o Hospital Geral, 100% público, quanto o Hospital Pompéia, acumulam dívidas de repasses não realizados. De 2014 ficaram faltando os repasses de outubro e novembro (dezembro foi pago pelo governo Sartori). Desse ano não foram repassados os valores de janeiro.

Para o Hospital Geral o montante soma cerca de R$ 1,5 milhão. No Pompéia é de R$ 1,2 milhão.

Os valores são referentes ao Incentivo de Co-financiamento da Assistência Hospitalar, destinado à média complexidade, os serviços de alta complexidade que são custeados pelo governo federal não apresentam atrasos.

Se os atrasos persistirem, a direção do Pompéia afirma que os procedimentos poderão ser adiados ou diminuídos. Procedimentos de alta complexidade, como cirurgias cardíacas e neurológicas, não seriam atingidos.

"Ainda tenho esperança de que os cortes não aconteçam, mas existe risco em março, caso o Estado não reconheça a situação. Só que temos o compromisso de fazer o atendimento e não faremos nada que vá contra a população, que não é culpada", avalia o diretor de Planejamento do Pompéia, Gilberto Uebel.

A situação do Hospital Geral é um pouco mais complicada já que o hospital é estadual, mas administrado pela UCS. 

Em 2013 o governo do estado liberou R$ 4 milhões (e a prefeitura de Caxias do Sul mais R$ 4 milhões) para a construção do novo prédio do Hospital Geral e mais R$ 755 mil para reformas do Hospital Pompéia. 

O Polenta News já havia alertado que os cortes patrocinados por Sartori iriam causar prejuízos ao sistema público de saúde. A Federação das Santas Casas fala em caos na saúde (leia aqui). Ontem o Hospital Oswaldo Cruz, de Horizontina, anunciou que não vai mais prestar atendimentos pelo SUS, o governo do estado deve R$ 1 milhão para a instituição. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com