domingo, 22 de fevereiro de 2015

PDT pressiona e Sartori cede mais cargos

Foto: Galileu Oldemburg/Casa Civil
O pós carnaval serviu para os pedetistas "discutirem a relação" com o governador Sartori (PMDB). Na pauta dos pedetistas estava uma insatisfação do partido com o número de CCs que coube ao PDT além de tensões, dentro do partido, com os boatos (nem tão boatos assim) da apresentação de projetos polêmicos pelo governo do estado.

A direção estadual do PDT, a bancada de deputados estaduais e federais foi para cima do governador Sartori e conseguiu cavar mais espaço. Na reunião, com o Chefe da Casa Cívil, Márcio Biolchi (PMDB), os pedetistas receberam a confirmação para a indicação de mais dois ou até mesmo três novos CCs.

Um deles será o ex-deputado Vinícius Ribeiro, que estava cotado para o Detran e não levou. Recebeu o convite para a Corag (Companhia Rio Grandense de Artes Gráficas), mas como o governo Sartori queria privatizar a companhia ele não aceitou. "O governo nos garantiu que a Corag será mantida", afirmou o presidente estadual do PDT, Pompeu de Matos. Com essa nova informação Vinícius topou a indicação.

Outro ex-deputado, Kalil Sehbe, será indicado para uma diretoria do Badesul (também na mira de privatização). Além disso o partido indicará um assessor técnico, a escolha da bancada estadual, para ocupar um cargo na Casa Cívil.

Com a montagem do governo chegando ao final, o discurso de Sartori de compor um governo técnico soa como um conto de fadas. A maior parte das escolhas foram políticas. Além disso, mesmo com a extinção e fusão de secretarias os CCs de segundo e terceiro escalão estão todos sendo ocupados. Mais uma vez o discurso de austeridade e redução de custos vai indo por água abaixo.

Sartori ficará com um grande problema se a cada pressão ceder dando mais cargos. Daqui a pouco ninguém acredita que o Rio Grande do Sul realmente tenha um deficit orçamentário do tamanho que ele diz que tem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com