quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Petroleiros fazem greve por melhores condição de trabalho e saúde, nos EUA.

Para quem adora dizer: "Só podia ser no Brasil", trazemos abaixo uma matéria do Diário Liberdade, um portal de notícias português, que cobre atividades ligadas aos movimentos sociais. Uma das empresas citadas na reportagem é a britânica BP que fechou 2014 com uma redução no lucro de 83,9%. A BP foi a empresa responsável pelo vazamento de petróleo no Golfo do México que custou, à companhia US$ 43 bilhões.





Maior greve dos operários de refinarias dos últimos 35 anos nos EUA


O Sindicato dos Metalúrgicos organizou uma greve e piquetes neste domingo (8) em cidades dos estados de Indiana e Ohio. Os cerca de 1.500 operários das refinarias de petróleo BP se uniram aos trabalhadores de outras nove refinarias dos Estados Unidos, organizando a maior greve do setor no país desde 1980.

Exigindo melhores condições de trabalho e benefícios de saúde, 4 mil trabalhadores entraram em greve no dia 1º de fevereiro, após o fracasso das negociações com a Shell Oil, companhia que lidera o mercado estadunidense e subsidiária da Royal Dutch Shell, que negocia um contrato nacional para outras petroleiras.

Cerca de 30 mil membros do Sindicato de Metalúrgicos trabalham em 65 refinarias e mais de 230 terminais petrolíferos, oleodutos e instalações petroquímicas nos Estados Unidos, produzindo aproximadamente dois terços do petróleo americano, informa a rádio RFI.

Informa também que a BP está comprometida em prosseguir com as negociações e espera chegar a uma solução vantajosa para ambas as partes, segundo um porta-voz da companhia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com