sábado, 30 de maio de 2015

Grupo anti-Dilma vai ao Congresso exigir rejeição à taxação de grandes fortunas

Movimentos pró impeachment se reuniram com parlamentares
da oposição
Você acha que quem ganha mais dinheiro deve pagar impostos maiores? Você acha que grandes fortunas devem ser tributadas diferente de quem ganha salário mínimo? Se sim é bom saber que há quem ache diferente.

O Movimento Brasil Livre (MBL) é um deles. Movimento criado para defender o impeachmente da presidenta Dilma, eles foram ao Congresso nessa semana exigir a rejeição à taxação de grandes fortunas e impostos sobre heranças proposta pela presidenta.

O MBL é um dos integrantes da vasta gama de grupelhos que defendem o impeachment. Nesse dia uma marcha, com menos de 20 pessoas, chegou também a capital federal. Em reunião com deputados da oposição o movimento colocou sua pauta na mesa.

O grupo é liderado por empresário e executivos do mercado financiero, por esse motivo os protestos de março e abril tinham somas vultuosas para se organizar e pagar caminhão de som e outras ações de mídia.

Fato que já havia ficado evidente durante os protestos é a escolha de lado dos manifestantes: os 1% mais ricos do país. Os movimentos de protesto desse ano eram formados pela elite de classe alta que estava incomodada com o acesso das classes populares ao poder de consumo. Seus líderes querem agora que a sua pauta de proteção aos seus interesses seja dado a cabo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com