segunda-feira, 20 de julho de 2015

Empresas da Serra sonegaram quase uma "Lava Jato" em ICMS

São R$ 5,2 bilhões só em ICMS, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, o valor que os empresários da Serra deixaram de repassar para os cofres do tesouro do estado.

Esse valor corresponde a quase uma Lava Jato e a maior parte, segundo técnicos do Tesouro, não será recuperada.

O empresário sonegador lesa a sociedade duas vezes. A primeira é quanto embute no preço de produtos e serviços o valor do imposto. A segunda vez é quando não repassa esse valor de impostos e faz com que o Estado não tenha recursos para investir em saúde, educação, seguranças e infraestrutura.

Os R$ 5,2 bilhões são suficientes para zerar o deficit do estado. Como, em todo o Rio Grande do Sul, só em ICMS foram sonegados R$ 36 bilhões, o valor seria suficiente para fazer praticamente todos os investimentos que o Rio Grande do Sul necessita.

As entidades de representação dos empresários, que são as primeiras a falarem sobre a falta de investimentos do governo, silenciam quando se fala das falcatruas cometidas pelos seus representados.

Não é só o estado que perde com a sonegação. Do valor arrecadado pelo ICMS 25% fica com os municípios. A região da Serra, perdeu, então, cerca de R$ 1 bilhão em recursos para as prefeituras.

Operação Zelotes


E isso é apenas a ponta do iceberg. Recentemente uma operação da Polícia Federal desbaratou uma quadrilha que facilitava a isenção de multas da Receita Federal. Mediante pagamento de propinas as empresas devedoras do fisco ficavam livres de cobrança.

De 74 empresas investigadas o volume da sonegação de impostos federais foi de R$ 19,7 bilhões. Sete empresas são do Rio Grande do Sul: RBS, Gerdau, Marcopolo, Mundial-Eberle, Évora, Copesul e Avipal/Granoleo.

A caxiense Marcopolo deve R$ 261,19 milhões em impostos! Dinheiro esse que falta para os serviços básicos da população. Some a sonegação e mais vários incentivos fiscais que essas empresas receberam ao longo dos anos, falta moral para querer demitir trabalhadores dizendo que o país está em crise.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com